Após a vitória no torneio de Roland Garros, Rafael Nadal concedeu uma entrevista ao El País, onde deu conta das dificuldades que passou nos últimos meses, por causa das lesões.

"Há momentos em que temos de tomar decisões e todos sabem o que me aconteceu nos últimos 18 meses. Se à questão do joelho, que me foi dando problemas, somarmos todos os outros que me aconteceram, são demasiadas coisas. A certa altura, vamos seguindo em frente, mas chega um ponto em que atingimos o fundo, porque é frustrante não ter a capacidade de treinar nem de competir aquilo que precisamos para estar no nível necessário", começou por dizer.

O tenista espanhol, que venceu o austríaco Dominic Thiem na final de Roland Garros, confessa mesmo que pensou em parar de jogar depois do torneiro de Indian Wells, no qual desistiu nas meias finais.

"Dentro da minha cabeça surgiram várias alternativas. Uma delas era parar durante uma temporada para ver se o corpo regenerava um pouquinho o corpo e deixava de ir de lesão em lesão; a outra era continuar em frente, mas precisava de o fazer com outra dinâmica, porque tinha entrado numa espiral negativa e não via a luz", conta.

"Jogava com dor e isso é complicado. Nunca me cansei de sofrer no ténis, no campo, mas chega um momento em que estás cansado de sofrer de forma continuada. No final, chega um momento em que ter dores é cansativo. E quando digo isto digo mais além da vida desportiva, falo da vida real. Ter dores constantes é duro", confidenciou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.