O grego Stefanos Tsitsipas teceu hoje elogios à prestação do português João Domingues nos quartos de final do Estoril Open em ténis, no qual o 10.º do 'ranking' ATP sentiu dificuldades para bater o número 214 do mundo.

“Ele jogou muito bem. Ele melhorou, é um bom corredor, mas usa os mesmos padrões no seu jogo. Se começarmos ‘a frio’ no jogo e não o entendermos de início, poderemos ficar para trás. Hoje, percebi muito tarde o jogo que ele estava a fazer, mas estou satisfeito por ter demonstrado profissionalismo, mesmo tendo corrido o risco de perder”, afirmou o tenista helénico, em conferência de imprensa.

Na análise ao embate disputado no ‘court’ central, o primeiro pré-designado do torneio, de 20 anos, salientou que o duelo foi “duro” e que já esperava “um mau bocado” perante o tenista de 25 anos, vincando a evolução desde a última vez que se cruzaram, em outubro de 2016, no ‘Future’ de Oliveira de Azeméis.

“Sinto que ele evoluiu e é hoje um jogador diferente desde que nos defrontámos pela última vez. Ele esteve muito calmo. Talvez eu tivesse mais experiência nas decisões por defrontar alguns adversários de topo ao longo do ano. Creio que terá sido essa diferença de experiência a pesar”, notou.

Reconhecendo estar “feliz” e expectante pelo que vai conseguir no Estoril Open, no qual repete a presença nas meias-finais de 2018, Stefanos Tsitsipas aponta o foco para Roland Garros, no final deste mês.

“É uma longa caminhada e ainda há muitos torneios até Roland Garros. A ideia é gerir o equilíbrio e é crucial manter o nível alto na terra batida antes de um evento tão importante como o Open francês. Acho que é o que os jogadores de topo fazem: definir as melhores estratégias para encontrar o equilíbrio”, finalizou.

No encontro que decide o acesso à final, o tenista grego vai medir forças no sábado com o belga David Goffin, 25.º do 'ranking' e quarto cabeça de série, que beneficiou de um 'wild card' para estar no Clube de Ténis do Estoril.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.