A seleção portuguesa de râguebi parte hoje para a Alemanha "confiante num triunfo" no 'play-off' de acesso ao 'Championship', que a recoloque no primeiro escalão europeu, apesar de os 'reforços' profissionais não terem chegado na quantidade desejada.

Anthony Alves, que joga no Aurillac, segundo escalão francês, e Jacques LeRoux, do Birmingham, terceira divisão inglesa, foram os únicos profissionais a responder à chamada da Federação Portuguesa de Râguebi (FPR) para o decisivo encontro de sábado, em Frankfurt.

"Estava confirmada a vinda de pelo menos mais dois jogadores profissionais, mas algumas lesões de última hora atrapalharam os planos", explicou à agência Lusa o selecionador português, Martim Aguiar, à partida para a Alemanha.

O técnico realçou, no entanto, que tem "plena confiança" no grupo à sua disposição e que os dois jogadores que disseram 'presente' à chamada "vêm sempre acrescentar".

"Nós preocupamo-nos apenas com aquilo que podemos controlar. Fizemos uma época melhor que a anterior em todos os níveis e o próprio modelo de jogo utilizado foi planeado a pensar neste rival, que já estava definido há algum tempo", ressalvou Martim Aguiar.

Além disso, o grupo às ordens do selecionador português está hoje "mais experiente" do que há um ano, quando foi batido por apenas três pontos (16-13) frente ao mesmo adversário na eliminatória de acesso ao campeonato do mundo.

"Trabalhámos e evoluímos muito nos nossos pontos menos fortes e as estatísticas provam-no. Estamos muito focados neste jogo e o objetivo é voltar à divisão superior", assumiu o treinador português, acrescentando que a equipa acredita que esse é o lugar onde "merece estar".

"Vamos para a Alemanha assumindo essa responsabilidade de recolocar Portugal no principal escalão europeu. É um peso bom que recai sobre os nossos ombros", concluiu Martim Aguiar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.