O piloto português Tiago Monteiro disse hoje à Lusa que a sua prestação na Taça do Mundo de Carros de Turismo (WTCR) do Grande Prémio de Macau foi “um bocado frustrante”.

“Foi um Grande Prémio de Macau um bocado frustrante para mim, com uma má prestação, com muito azar por não ter dado uma volta limpa”, afirmou à Lusa o piloto português, que ambicionava ficar os entre os 10 primeiros.

O português ficou em 18.º e 19.º nas duas corridas de hoje, que foram vencidas pelo francês Yvan Muller e pelo alemão Andy Priaulux, respetivamente.

No sábado, Monteiro que partia da 14.ª posição, completou as oito voltas em 20.42.993 minutos, a 12.946 segundos do vencedor, o francês Yvan Muller.

“Não é o resultado que eu queria, isso é claro”, assumiu, ressalvando, contudo que se divertiu durante os quatro dias em Macau.

“Macau é sempre um desafio bastante bom”, afirmou aquele que foi o primeiro português a vencer a Corrida da Guia da Taça do Mundo de Carros de Turismo, em 2016.

Falta ainda mais uma prova, na Malásia, que vai decorrer entre os dias 13 e 15 de dezembro, para terminar a época que começou “bastante mal com muitos toques, muitos empurrões, muito poucos pontos na primeira metade da época”, afirmou.

“Mas se olhássemos para a segunda metade do campeonato eu estaria em quinto”, frisou Monteiro, que está neste momento no 20.º lugar da classificação do WTCR.

Para a próxima época, explicou, quer levar este “ímpeto da segunda volta do campeonato”.

O 66.º Grande Prémio de Macau decorre entre quinta-feira e hoje e, para além de Tiago Monteiro, participou ainda o português André Pires, no 53.º Grande Prémio de Macau de motos, que se realizou no sábado.

André Pires sofreu uma queda logo na primeira volta, numa corrida que ficou marcada por um aparatoso acidente, envolvendo seis condutores, tendo três deles ficado feridos.

Após o incidente, que ocorreu na segunda volta, a organização informou os jornalistas que a corrida tinha sido cancelada e que, pela primeira vez na história da prova, não haveria um vencedor, mas emitiu posteriormente um comunicado a dar conta da vitória de Rutter.

A organização indicou no comunicado que, de acordo com o regulamento, o resultado deve ser declarado com base em uma única volta da segunda corrida, pelo que Rutter foi proclamado vencedor, à frente do britânico Peter Hickman e do australiano David Johnson, segundo e terceiro classificados, respetivamente.

A corrida de motos do ano passado foi vencida por Peter Hickman, que ficara em segundo lugar na mesma prova em 2017, marcada pelo acidente mortal do piloto britânico Daniel Hegarty.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.