O piloto estónio Ott Tanak (Toyota Yaris) fechou hoje o círculo, ao conquistar pela primeira vez o Rali de Portugal, sétima prova do Campeonato do Mundo, precisamente no local onde se estreou ao mais alto nível, há dez anos.

O power stage na rampa de Fafe deu origem a imagens espetaculares, com alguns acidentes. O britânico Gus Greensmith (Ford Fiesta) partiu a direção em pleno salto, no final da última especial, sofrendo um aparatoso acidente, sem consequências físicas para o estreante, mas obrigando à primeira interrupção da prova.

Pouco depois, seria o irlandês Kris Meeke (Toyota Yaris) a sofrer um pião que significou a desistência, com uma roda arrancada, quando era já terceiro - após outro pião no troço anterior, em Montim 2 -, obrigando a nova neutralização.

Com o campeonato a entrar na segunda metade já dentro de duas semanas, na Sardenha, os três primeiros classificados estão separados por apenas 10 pontos, quando em 2018 eram 28, fazendo com que este seja o mais competitivo dos últimos anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.