O piloto britânico Lewis Hamilton (Mercedes) conseguiu hoje a 77.ª vitória da carreira, ao vencer o Grande Prémio do Mónaco de Fórmula 1, mas viu a Ferrari interromper as 'dobradinhas' Mercedes pela primeira vez esta época.

Nas cinco provas anteriores, os carros da equipa germânica terminaram sempre nos dois primeiros lugares, com três vitórias para Hamilton e duas para o finlandês Valtteri Bottas.

Desta vez, o alemão Sabastian Vettel, em Ferrari, terminou na segunda posição, a 2,602 segundos do vencedor, deixando o segundo Mercedes, conduzido por Bottas, na terceira posição, a 3,162 segundos.

O momento da corrida aconteceu entre as voltas 10 e 14 das 78 previstas, quando o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que partira da 15.ª posição e procurava conquistar posições, ficou preso nas barreiras na curva Rascasse, ao tentar ultrapassar o alemão Nico Hulkenberg (Renault).

Com o Ferrari do jovem piloto a libertar detritos pela pista, a direção de corrida mandou entrar o 'safety car' para os comissários poderem limpar o asfalto. As equipas aproveitaram a oportunidade para a primeira troca de pneus.

Nessa altura, a Mercedes mantinha as duas primeiras posições desde a partida. Hamilton arrancou bem, liderando o pelotão, e Bottas conseguiu defender-se do ataque inicial do holandês Max Verstappen (Red Bull).

Contudo, o finlandês nada pôde fazer na via das boxes. Verstappen, que também parou após a entrada do 'safety car', viu a equipa libertá-lo quando Bottas se encaminhava já para a pista.

Ao tentar a ultrapassagem, acabou por tocar no Mercedes de Bottas, que sofreu um furo e foi forçado a regressar às boxes na volta seguinte, caindo para o quarto lugar, atrás do próprio Verstappen e de Vettel.

A manobra viria a custar ao holandês cinco segundos de penalização.

Até final, Lewis Hamilton teve de aguentar a pressão do piloto da Red Bull apesar da degradação dos pneus médios com que fez mais de metade da corrida.

"Foi uma vitória muito difícil, talvez a mais dura da minha carreira", admitiu o campeão mundial, que dedicou a vitória a Niki Lauda, mítico piloto que faleceu na segunda-feira, aos 70 anos.

"Esta [vitória] foi para ti, Niki. O teu espírito lutador esteve sempre comigo. Eu sei que estás a olhar para baixo e a tirar-nos o chapéu. Sinto a tua falta, nós temos mesmo saudades tuas e espero que hoje tenhas ficado orgulhoso de nós, lenda", pode ler-se na mensagem deixada posteriormente nas redes sociais.

Max Verstappen ainda tentou uma ultrapassagem à saída do túnel na penúltima volta, acabando por tocar no pneu traseiro esquerdo do Mercedes do líder do campeonato, que teve de seguir em frente na 'chicane'.

Apesar de cruzar a meta na segunda posição, os cinco segundos de penalização atiraram o holandês para o quarto lugar.

Quem beneficiou com isso foi Sebastian Vettel que, com o segundo posto, conseguiu o melhor resultado da temporada, enquanto Valtteri Bottas perdeu 10 pontos para o companheiro de equipa na luta pelo título.

Com estes resultados, Lewis Hamilton tem agora 17 pontos de vantagem no campeonato para o segundo classificado, Valtteri Bottas. O britânico soma 137 contra os 120 do finlandês.

Sebastian Vettel ascendeu ao terceiro posto, com 82 pontos, enquanto Max Verstappen caiu para quarto, com 78.

No Mundial de Construtores, a Mercedes tem 257 pontos, contra os 139 da Ferrari.

A próxima prova disputa-se a 09 de junho, no Canadá.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.