Os proprietários da Fórmula 1 e a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciaram, na segunda-feira, uma importante mudança nos grandes prémios: saem as modelos ´pit girls` e entram as crianças, para acompanharem os pilotos nos antes dos arranques dos grandes prémios.

A presença dos ´pit girls`, escolhidos por méritos ou por sorteio em clubes locais de automobilismo, deve "tornar as cerimónias que antecedem as corridas mais interessantes para os adeptos, especialmente os mais jovens", explicaram as duas entidades em comunicado.

 

O grupo americano Liberty Media, que tem os direitos comerciais da Fórmula 1 desde 2017, tenta reinventar a categoria e torná-la mais atrativa para o público jovem.

A Liberty Media sublinha que a antiga tradição de modelos antes da largada nas provas "não corresponde aos valores defendidos pela nossa marca e está no caminho oposto às normas sociais atuais", explicou na última quarta-feira.

A decisão de acabar com as modelos na Fórmula 1 foi tomada depois da aparição do movimento #MeToo (#EuTambém), com o qual mulheres de todo mundo denunciaram casos de assédio sexual.