A realização de dois grandes prémios de Fórmula 1 no circuito inglês de Silverstone, em julho, está ameaçada pelas medidas britânicas de quarentena e só será possível se forem concedidas isenções, disseram hoje os promotores.

“Um período de quarenta de 14 dias faz com que seja impossível disputar este ano um GP em Inglaterra”, disse um porta-voz da organização promotora do Mundial de Fórmula 1, numa nota enviada à agência francesa France-Presse.

Os promotores do Mundial de Fórmula 1 apontam como solução a isenção de cumprir o período de quarentena, já que se propõem viajar para a Grã-Bretanha em aviões com apenas elementos ligados à F1 e todos seriam testados à covid-19.

“Esta medida torna a quarentena completamente desnecessária”, refere o porta-voz da F1, acrescentado ainda que se os desportos de alto nível regressarem, mesmo que à porta fechada e televisionados, “serão necessárias isenções”.

O diretor do circuito de Silverstone, Stuart Pringle, tinha anunciado na quinta-feira um princípio de acordo com os promotores do Mundial de Fórmula 1 para a realização de dois grandes prémios no circuito inglês, mas a sua concretização está agora comprometida.

Na altura, Pringle referiu que as corridas estariam sempre sujeitas à aprovação do governo, nomeadamente no que toca ao cumprimento das regras relativas à covid-19, e apontou o período de quarentena com um dos principais obstáculos.

A pandemia do novo coronavírus suspendeu o arranque da temporada de Fórmula 1, prevista para começar em 15 de março, que teve as 10 primeiras corridas do calendário de 2020, que prometia ser o mais preenchido de sempre, adiadas ou canceladas.

No total, os 10 primeiros grandes prémios foram cancelados (Austrália, Mónaco e França) ou adiados para uma data indefinida (Bahrain, China, Vietname, Países Baixos, Espanha, Azerbaijão e Canadá).

A Fórmula 1 espera começar a temporada em 05 de julho, com o Grande Prémio da Áustria, e uma segunda corrida no domingo seguinte, no mesmo circuito de Spielberg, ambas à porta fechada e com um número limitado de pessoas no ‘paddock’.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 318 mil mortos e infetou mais de 4,8 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.