O construtor automóvel McLaren, conhecido pela Fórmula 1, anunciou hoje a eliminação de 1.200 empregos, um quarto do total, devido ao impacto da pandemia de covid-19 nas suas atividades.

O construtor explicou em comunicado que foi afetado pelo cancelamento de eventos desportivos, pela paragem na sua produção e nas vendas a particulares.

A McLaren não indicou quantos empregos serão afetados na Fórmula 1, mas segundo a BBC a marca vai suprimir 70 postos de trabalho, num total de 800.

"Lamentamos profundamente o impacto desta reestruturação nos nossos colaboradores e em particular naqueles cujos empregos serão abrangidos", afirmou Paul Walsh, presidente executivo do grupo.

"Trabalhámos bastante para evitar isto, depois de já termos adotado medidas drásticas para poupar em todos os domínios da nossa atividade, mas não tivemos outra opção a não ser reduzir o número de trabalhadores", explicou.

A imprensa britânica informou há alguns dias que a McLaren procurava negociar um empréstimo de 275 milhões de libras, dando como garantias a sua sede e a sua coleção de carros antigos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.