A organização do Caramulo Motorfestival, que decorrerá de 06 a 08 de setembro, espera um aumento entre 10% e 20% do número de visitantes, numa edição com programação alargada e que ocupará 100 mil metros quadrados de área.

O Caramulo Motorfestival, que se realiza desde 2006 na Serra do Caramulo, no concelho de Tondela, distrito de Viseu, tem registado mais de 30 mil visitantes.

“Achamos que vamos ter um aumento do número de visitantes e estamos a preparar-nos para isso”, disse sexta-feira Salvador Patrício Gouveia, do Museu do Caramulo, durante a conferência de imprensa de apresentação da 14.ª edição do festival.

O responsável lembrou que, em 2006, o Caramulo Motorfestival integrava apenas quatro eventos. Este ano, serão 50, destinados a toda a família.

“Foi crescendo e, no ano passado, conseguimos dar um salto quantitativo e qualitativo em todos os aspetos”, frisou, lembrando que se trata de uma edição especial, porque se comemoram os 60 anos do edifício do Museu do Caramulo e os 40 anos da rampa.

Atendendo ao número de iniciativas que integram o festival – só passeios e concentrações são quase 30 – a organização teve de alargar o perímetro do evento. Foram também criados novos parques de estacionamento, com mais 400 lugares.

Segundo Salvador Patrício Gouveia, o Caramulo Motorfestival contará com mais de 1.100 automóveis, motos e aviões.

“Não é um evento só para malucos dos carros. É um evento completamente familiar”, garantiu.

Uma das novidades da edição deste ano será precisamente dedicada aos mais novos, o Motorlândia Fun Park, que consiste num miniparque de diversões dentro do pavilhão desportivo, que terá um comboio, uma pista de karts elétricos e muitos jogos e simuladores.

Nesse âmbito, a Feira da Automobilia, que costumava ocupar o pavilhão, passará para o exterior, “criando uma proximidade maior com o público”, acrescentou.

Uma das principais atrações do Caramulo Motorfestival é a rampa histórica, ao longo de 2,8 quilómetros sinuosos, e que este ano contará com quase 90 automóveis históricos, clássicos e de competição “muito bons”, nas categorias de velocidade e de regularidade.

Salvador Patrício Gouveia destacou também “o plantel de pilotos muito bom”, que inclui nomes como o finlandês Markku Alén, que se estreia no evento, Filipe Albuquerque, que compete atualmente no Campeonato DTM, e André Villas-Boas, que “já faz parte da família do Motorfestival”.

Para comemorar os 40 anos da rampa, o Caramulo Motorfestival contará ainda com o regresso de vários pilotos que correram na prova nos anos 1970 e 1980, como Albino Abrantes, Ni Amorim, António Rodrigues, Edgar Fortes, Araújo Pereira, António Barros, Veloso Amaral ou Alcides Petiz.

O programa do Caramulo Motorfestival inclui também o Passeio 200 Milhas, o Passeio Rota do Clássicos, a Coleção de Automóveis, Motociclos, Velocípedes e Miniaturas do Museu do Caramulo, o Air Show, uma pista de trial, concentrações de clubes, música ao vivo e três exposições temporárias, entre outras iniciativas.

Segundo Salvador Patrício Gouveia, o museu investe cerca de 150 mil euros no Caramulo Motorfestival, que tem entrada gratuita, sendo que este investimento se traduz em benefícios para a economia da região.

“Os seguros, os transportes, a hotelaria e a restauração são os grandes beneficiários de toda a mobilização que este evento gera”, frisou.

O vereador do Turismo na Câmara de Tondela, Pedro Adão, anunciou que, pela primeira vez, haverá um posto de comando no recinto do festival, atendendo aos milhares de visitantes esperados diariamente.

O presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, mostrou-se satisfeito com o facto de o evento durar três dias, o que contribui para “aumentar a permanência de turistas na região”.

João Jordão, do Automóvel Clube de Portugal, congratulou-se por um evento fora de Lisboa e do Porto conseguir “implementar-se, criar raízes e ganhar dimensão nacional e internacional”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.