O campeonato do mundo de motos elétricas (MotoE) de 2019 vai ser realizado, apesar da alteração de datas forçada pelo incêndio que hoje destruiu 23 motos de competição no circuito de Jerez de La Frontera, assegurou a organização.

"O MotoE vai competir em 2019 e vai ser anunciado um calendário revisto a seu devido tempo. Porém, confirma-se que o campeonato do mundo de MotoE não vai competir no circuito de Jerez-Angel Nieto como parte do Grande Prémio Red Bull de Espanha nesta temporada", informou a organização, sublinhando que o objetivo é que a competição arranque o mais depressa possível, mas sem se comprometer com datas.

O risco associado a esta categoria de motos elétricas é reconhecido pela organização, que destacou a sua "ambição em evoluir e experimentar novas tecnologias", e revelou que as motos não estavam em processo de carga no momento do incidente no carregador que deu origem ao incêndio.

Por seu turno, a direção do circuito de Jerez de La Frontera, em Espanha, emitiu uma nota de imprensa assinalando que, além das 23 motos, a tenda e todo o material relacionado ficaram igualmente destruídos e que já está em curso uma investigação para determinar as causas exatas da ocorrência.

O incêndio destruiu na passada madrugada 23 motos de competição no circuito de Jerez de La Frontera, onde decorriam os treinos oficiais para o MotoE.

Segundo os bombeiros, o incêndio começou perto da meia-noite numa tenda, de estrutura metálica, lona e plástico, materiais de fácil combustão. Os trabalhos dos bombeiros ficaram concluídos ao início da manhã, e envolveram cinco veículos.

Na tenda estavam estacionadas várias motas, que utilizam baterias de lítio, que deveriam ser utilizadas no Mundial de MotoE, uma competição que se estreia esta temporada. O calendário do campeonato previa a realização de cinco Grandes Prémios, o primeiro dos quais em Jerez de La Frontera, em 05 de maio, que foi cancelado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.