O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, destacou hoje no Parlamento o reforço do investimento feito pelo executivo nas áreas do desporto e da juventude, considerando que a melhoria das condições oferecidas já tem reflexo nos resultados desportivos.

"Houve um forte investimento nos orçamentos reforçados do IPDJ [Instituto Português do Desporto e Juventude]. Em 2016, o orçamento executado foi de 71,9 milhões de euros e, em 2018, foi de 85,4 milhões de euros, o que prova o forte investimento feito pelo Governo nas áreas do desporto e da juventude", lembrou o responsável.

E acrescentou: "Estamos a falar de um reforço de 18,7%, e isto permite que o nosso panorama desportivo se possa apresentar com outras condições".

Tiago Brandão Rodrigues, que falava na Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto, numa audição dedicada à apreciação da política geral do Ministério da Educação, vincou que este reforço do investimento financeiro no IPDJ constava do programa do Governo, bem como das Grandes Opções do Plano (GOP).

"Temos trabalho feito. Estou a falar de políticas públicas de desporto. As políticas públicas são feitas por nós e por vocês [deputados]. Em todos os aspetos fundamentais, o Governo tem obra feita. E a obra é reconhecida pelo tecido juvenil, bem como pelos desportistas", assinalou o governante.

Brandão Rodrigues aproveitou também para destacar a aposta do executivo no aprofundamento da articulação entre a prática desportiva e a escola, salientando a vontade do executivo de promover a compatibilização entre o desporto e o percurso escolar e académico, desde logo, através da valorização da Educação Física enquanto disciplina.

O governante apontou para o aumento da dotação do orçamento para a componente do desporto escolar, que passou de 6,9 milhões de euros (ME) em 2018 para 7,9 ME em 2019, um "crescimento de 15% num único ano, que prova a aposta no desporto escolar", área cujo programa definido até 2021 visa "aumentar a literacia física" dos alunos.

Durante a audição do ministro, ainda na parte inicial, houve um momento de maior tensão entre o governante e o deputado Joel Sá, do PSD, com uma troca de 'galhardetes' que foi sanada pela pronta intervenção de Edite Estrela, a deputada socialista que preside esta comissão parlamentar.

Tudo porque Brandão Rodrigues questionou a escolha de Joel Sá para interlocutor do PSD nesta audição, devido às questões que lhe foram lançadas pelo deputado social-democrata que, por seu turno, considerou que o ministro o estava a desvalorizar.

"O senhor deputado foi muito difuso nas perguntas que fez. Não desvalorizando o interlocutor, desvalorizo as questões", atirou o governante, já depois da intervenção de Edite Estrela.

Joel Sá respondeu, considerando “uma falta de nível” do ministro: “Há falta de argumentos, vem o insulto", lamentou.

Após a troca mais acesa de argumentos, os trabalhos voltaram a decorrer dentro da normalidade.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.