Antal Bolvari, um dos 'heróis' das finais olímpicas de polo aquático de 1952 e 1956, em que a Hungria se sagrou campeã, morreu hoje em Budapeste, aos 86 anos, anunciou a família do antigo atleta.

Nascido em 1932, em Kaposvar, Bolvari brilhou no polo aquático da década de 50, integrando as seleções da Hungria campeãs olímpicas, com vitórias históricas sobre a União Soviética e a Jugoslávia.

Esteve, nomeadamente, no mediático jogo que ficou conhecido como 'sangue na água', a meia-final de 1956 em que os húngaros venceram os soviéticos por 4-0.

O jogo, que contou com um golo de Bolvari, foi marcado por invulgar violência, sendo o caso mais evidente a agressão sofrida pelo húngaro Ervin Zador: após sofrer um soco na cara, sangrou profusamente da ferida, na região do olho direito.

Na final, os húngaros fecharam com 'chave de ouro' oito anos de domínio na modalidade, com 2-1 sobre a Jugoslávia.

Grande parte dos campeões desertaram após os Jogos Olímpicos de 1956, realizados em Melbourne - foi o caso de Bolvari, que viveu cinco anos na Austrália.

Jogador do Vasas, Spartacus e Honved, viria depois a treinar o Spartacus, Honved e a seleção nacional de juniores, e ainda a principal, como adjunto de Mihaly Mayer.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.