Moscovo, 08 dez (Lusa) – O presidente do Comité Olímpico Russo (COR) assegurou hoje que a investigação ao caso de doping com alegado apoio estatal na Rússia está encerrada, depois de o Comité Olímpico Internacional (COI) ter admitido que não dispunha de provas.

“A comissão de disciplina do COI disse que não havia nenhum apoio estatal ao doping na Rússia. Esta é uma conclusão importantíssima. Assim o caso fica encerrado”, afirmou Alexandr Zhúkov, numa intervenção no parlamento russo.

O presidente do COR recordou que a comissão informou que não conseguiu provas documentais, que tivessem sido recolhidas de forma independente e imparcial, a confirmar a existência de um programa para “mascarar” resultados positivos de doping nos Jogos Olímpicos de Inverno Sochi2014.

“Isto é muito importante, já que muitos defendiam a completa exclusão da Rússia dos Jogos e do movimento olímpico, insistindo na existência de um programa organizado de doping com o apoio estatal”, disse.

Alexandr Zhúkov acrescentou que o COI considera que o laboratório antidopagem de Moscovo levou a cabo uma “manipulação sistemática”, e que o seu antigo diretor Grigori Ródchenkov, que entretanto fugiu para os Estados Unidos, colocou em prática um método para ocultar casos positivos do qual retirou benefícios económicos.

“No nosso laboratório antidopagem existia um grupo de pessoas, encabeçadas pelo seu diretor, que elaborou um esquema de doping: dava substâncias proibidas aos atletas e quando estes acusavam positivo alterava as provas e falseava resultados”, afirmou.

Zhúkov disse que durante a recente reunião com a comissão executiva do COI, na qual foi anunciada a não participação da Rússia nos Jogos Olímpicos de 2018, pediu desculpa por ter não descoberto mais cedo o que se passava no laboratório.

“Tudo isto causou grandes danos a centenas de desportistas e, também, a todo o movimento olímpico. Nós pedimos desculpas, creio que fizemos o correto”, afirmou o presidente do COR.

Na terça-feira, o COI decidiu afastar a Rússia dos Jogos Olímpicos de Inverno Pyeongchang2018 devido à dopagem institucionalizada no país, mas os seus atletas podem competir na Coreia do Sul sob a bandeira olímpica.

Alexandr Zhúkov considerou que a decisão dos atletas será muito difícil, lembrando que os que têm competido internacionalmente “são olhados de forma negativa pelos desportistas estrangeiros e pelos jornalistas”.

O presidente do COR discordou, tal como já tinha feito o presidente russo, Vladimir Putin, da possibilidade de a Rússia declarar um boicote aos Jogos Pyeongchang2018, que decorrem em fevereiro.

“Os que querem o boicote, querem que a Rússia saia do movimento olímpico. Não podemos permitir isso (…). Um boicote mancharia uma história olímpica de muitos anos. Isso é o que querem os nossos adversários”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.