Apesar de faltar-lhe ainda o título de Mestre Internacional (MI), o jogador alcançou a pontuação Elo de 2.375, força de jogo cujos regulamentos da Federação Internacional de Xadrez (FIDE) permite atingir a graduação maior da modalidade.

Para o efeito, Sérgio Miguel, 36 anos, terá de obter três normas internacionais e elevar a sua pontuação acima dos 2.450 pts, participando e vencendo provas reconhecidas pelo órgão reitor do jogo ciência no mundo.

No entanto, a forma mais directa de obtenção da distinção atribuída pela FIDE passa pela conquista de um dos três primeiros lugares da classificação em um Campeonato Africano individual absoluto.

Entre os angolanos MI, David Silva também está próximo da distinção com 2.257 pontos. Falta-lhe as três normais e subida ao pódio, no mínimo, em um campeonato continental absoluto.

O país possui mais seis MI, nomeadamente, Adérito Pedro (2.310), Erikson Soares (2.273), Eugénio Campos (2.247), Catarino Domingos (2.210), Amorim Agnelo (2.119) e Luciano Oliveira (2.115).

Em femininos, a atleta mais próxima de atingir o feito é Esperança Caxita. A MI tem uma força de jogo de 1.878, além da vantagem de possuir já as três normais internacionais, faltando-lhe apenas atingir os 2.300 pontos exigidos pela FIDE para o escalão.

A jogadora do 1º de Agosto é tricampeã africana de juniores (2013, 2014 e 2016), campeã africana da zona 4.3 (2019), pentacampeã africana das nações (2013, 2016, 2017, 2018, 2019), campeã nacional em juvenis (2012), campeã em juniores (2016) e representou Angola em quatro olimpíadas (2012, 2014, 2016 e 2018).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.