O Golden Trail World Champ vai levar às ilhas do Pico e do Faial, no final de outubro e início de novembro, os melhores atletas do mundo em trail running, estando a prova dependente da evolução da covid-19.

"Vai-se congregar durante quatro dias um evento com os melhores atletas do mundo, avaliados por ‘ranking’, uma vez que não está a haver provas. Vão também outros que não estejam no ‘ranking’: os melhores 10 que foram à prova principal [da época passada]", avança à agência Lusa Mário Leal, do Azores Trail Running, um dos organizadores juntamente com a Salomon Running.

A prova irá realizar-se de 29 de outubro a 01 de novembro e será composta por quatro etapas, as três primeiras (de 26 e 32 quilómetros) a decorrer no Faial e a quarta (36 quilómetros) no Pico.

Inicialmente, a terceira edição do Golden Trail World Champ (GTWC) estava marcada para acontecer na Patagónia, na Argentina, mas foi cancelada devido à pandemia de covid-19.

Devido ao novo coronavírus, a organização mudou a prova para os Açores e alterou o formato da competição para reunir os melhores atletas do mundo.

"Como atualmente não é possível organizar as provas com um número obrigatório de corridas ou reunir corredores internacionais de elite em cada corrida, o novo plano exige uma reunião dos principais corredores de trail do mundo numa única competição", refere o GTWC em comunicado de imprensa.

Sendo uma prova internacional com o prémio total de 100 mil euros, Mário Leal considera que esta competição atrai mais atenção do que o Campeonato do Mundo de trail running.

"O que vai haver aqui é muito mais interessante [do que o Campeonato do Mundo], ao nível de comunicação, quer de satisfação, quer de prémios monetários", frisa.

O valor do prémio será distribuído pelas categorias masculinas e femininas dos dez primeiros classificados (o primeiro irá receber 6.500 euros), dos vencedores de cada etapa e pelos mais rápidos no ‘sprint’ e nas descidas.

Para Mário Leal, a prova representa uma "grande janela de oportunidade" para a região poder associar-se a uma competição que "assenta muito" no ‘fair-play’ e na "proteção do ambiente".

"É um evento promocional da região e da natureza da região. O que está previsto em número de atletas selecionados para o evento são 150. Isto são atletas patrocinados, de todos os países e de todas as marcas com pontuação para isso", destaca.

Tratando-se de uma "prova aberta", ainda não é possível prever o número total de pessoas que irão estar presentes, mas a organização avançou que já está confirmada a presença de 32 jornalistas generalistas e que a prova terá transmissão televisiva nos Estados Unidos, França e Espanha.

Mário Leal refere que o evento tem uma "visibilidade enorme" e, mesmo que não se concretize, é já uma "bomba mundial", porque "em todo o lado" se fala dos Açores.

"Vão ser distribuídos a cada atleta diariamente fotografias e vídeos da sua prestação para alimentar as suas redes sociais, das marcas e dos patrocinadores. Cada atleta tem muitos patrocínios e visibilidade", conclui.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.