O representante africano para o Mundial de patinagem de Barcelona será decidido entre Moçambique e Angola, por serem seleções mais competitivas, considerou esta quinta-feira, em Luanda, o vice-presidente da federação moçambicana da modalidade, Abdel Azize.

Falando em conferência de imprensa, que serviu de lançamento do primeiro Campeonato Africano, prova que apura o único embaixador africano para a elite oito do mundial de patinagem, a decorrer a partir de sexta-feira, em Luanda, o dirigente desportivo justificou que os angolanos, além de evoluírem tecnicamente nos últimos anos, vão contar com o apoio do seu público, enquanto os moçambicanos apresentam-se com uma mescla de juventude e experimentados, capaz de superar qualquer adversário.

“Com respeito ao Egipto e à África do Sul, este último ausente por indisponibilidade financeira, os pupilos treinados por Fernando Fallé e Pedro Nunes apresentam-se como favoritos”, disse.

Recorde-se que Angola obteve a sua melhor classificação no mundial passado, em 2017, na China, onde ocupou a quinta posição, ano em que Moçambique ficou em oitavo. Mas os irmãos do Índico já lograram um quarto lugar, em 2011 ( San Juan), na Argentina.

O vice-presidente referiu que a selecção do seu país vai aparecer com um conjunto jovem, mas com pretensão de conquistar o primeiro Campeonato Africano e a consequente qualificação.

Pedro Nunes conta com cinco jogadores que actuam no campeonato português, nomeadamente Mário Rodrigues, Filipe Vaz, Carlos Silva, Bruno Pinto e Filipe Nabais, e igual número na competição interna.

Angola, Egito e Moçambique discutem presença no Mundial de Barcelona, Espanha, marcado para 7 a 14 de Julho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.