"Quando há finais de hóquei em patins entre estes dois clubes não pode haver favoritos". Foi desta forma que Franklim Pais iniciou a sua conversa com os jornalistas, na "superflash" de antevisão para a disputa da Supertaça António Livramento, que irá decorrer no Pavilhão Monserrate, em Viana do Castelo, este sábado às 16h15, entre o FC Porto e o SL Benfica.

O treinador de hóquei em patins dos Dragões sabe que a melhor arma para derrotar os encarnados é "entrar melhor em campo", sem esquecer de "fazer um jogo rigoroso e sem falhas" para renovar uma prova que o FC Porto tem ganho nos últimos anos.

Sobre o adversário, Franklim sabe que o Benfica reforçou-se para esta época. "Tem seis jogadores na selecção nacional, por isso é, com certeza, uma equipa forte. Da nossa parte encaramos isso com naturalidade mas com cautelas redobradas porque é um jogo a ser resolvido em pequenos pormenores".

Já o jogador que veste a camisola n.º 2 do plantel azul e branco assume o favoritismo da sua equipa para o encontro deste sábado, "não só pelo passado recente mas também porque, actualmente, temos a melhor equipa em Portugal", afirmou Filipe Santos. Mas lembra que "num jogo tudo pode acontecer, e o Benfica é um candidato ao título".

Tanto o treinador como o jogador continuam preocupados com a adaptação às novas regras do hóquei em patins. Preocupam-se com ambos os lados: jogadores e árbitros. "Há várias interpretações e é isso que tenho algum receio. Pode não haver critérios iguais para as duas equipas e só peço igualdade ao nível de arbitragem", alertou Franklim Pais acrescentando que a sua equipa está a "adaptar-se lentamente" às novas regras.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.