A seleção portuguesa de futsal sagrou-se, este sábado, campeão europeu pela primeira vez ao bater a Espanha por 3-2, resultado alcançado no prolongamento, na final do Europeu de 2018, disputado em Liubliana, na Eslovénia.

 

Esta foi a segunda presença dos portugueses numa final, depois de, em 2010, no Europeu da Hungria, Portugal ter perdido, curiosamente, contra a Espanha por 4-2. Hoje, a história foi outra e esta seleção, comandada por Jorge Braz, leva a Taça da Campeão Europeu para casa.

Portugal começou bem, com um golo prematuro de Ricardinho - tornou-se neste europeu o melhor marcador de sempre em fases finais de europeus com 22 golos - com o melhor jogador do mundo da modalidade a recuperar à entrada da área e a remate sem hipóteses para Paco Sedano.

Nos instantes finais do primeiro tempo, Pedro Cary demorou muito tempo a chegar à bola e Marc Tolrà conseguiu fazer um desvio subtil. O guarda-redes André Sousa ainda se esticou, mas não conseguiu evitar o empate espanhol.

Na segunda parte, Miguelín aproveitou uma desatenção da defesa da seleção portuguesa e Lin, que estava completamente sozinho ao segundo poste, só teve de encostar, colocando os espanhóis em vantagem e mais perto do título.

Mas Portugal não desistiu e, a um minuto do final, Bruno Coelho apareceu solto à boca da baliza e com um toque acrobático, restabeleceu a igualdade.

No prolongamento, num altura em que Ricardinho estava fora da quadra por lesão, Bruno Coelho ‘bisou’, na conversão de um livre direto, no último minuto, assegurando o primeiro título de Portugal.