O guarda-redes André Sousa admitiu hoje que a Itália é o “principal opositor” de Portugal no Grupo A da Ronda de Elite para o Mundial2020 de futsal, a disputar na Póvoa de Varzim.

“É claro que, olhando para o grupo, teremos a Itália como principal opositor, mas há dois jogos difíceis por disputar e para vencer antes [com Bielorrússia e Finlândia]. Penso que as equipas estão cada vez mais competitivas, organizadas e evoluídas”, afirmou o guardião, citado pela assessoria da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

No segundo dia do estágio, que decorre em Rio Maior, o guarda-redes considerou que o facto de Portugal ser, entre 30 de janeiro e 02 de fevereiro, o anfitrião do grupo joga a favor da seleção das ‘quinas’, mas que mesmo assim será uma qualificação muito ‘dura’.

“Prevejo três jogos muito difíceis. Para já, vamos focar-nos no jogo com a Bielorrússia. Depois teremos a Finlândia. Queremos vencer estes dois jogos para irmos disputar o apuramento com a Itália”, acrescentou.

A seleção portuguesa, quarta do ‘ranking’ mundial, começa por defrontar a Bielorrússia (18.ª), em 30 de janeiro, seguindo-se a Finlândia (23.ª), em 31 de janeiro, e, finalmente, a Itália (oitava), em 02 de fevereiro.

“Claro que pensamos que esse será o jogo decisivo, até porque o ‘ranking’ mostra isso, mas relembro que teremos de estar ao nosso nível para vencermos os dois primeiros jogos. O historial mostra-nos as dificuldades que temos tido para vencer a Itália, mas Portugal tem evoluído e demonstrado outra consistência”, justificou o guarda-redes.

André Sousa lembrou a importante conquista do título de campeão europeu em 2018, e que o Mundial também é uma meta e um sonho de muitos.

“Há muitos jogadores nesta equipa que estiveram no Europeu e só lhes falta o Mundial nos seus currículos. É um objetivo de muitos, para sonharmos com isso é preciso lá estarmos. Vamos ter que passar esta qualificação difícil que temos pela frente”, sublinhou.

No estágio em Rio Maior, a decorrer desde segunda-feira e até sexta-feira e que precede a concentração no domingo na Póvoa de Varzim, o selecionador Jorge Braz chamou hoje os guarda-redes dos sub-21, Leandro Costa de manhã e Bernardo Paço durante a tarde, devido à ausência de Edu, ainda em compromissos na Liga espanhola.

Da Europa apuram-se para o Mundial da Lituânia, entre setembro e outubro deste ano, os primeiros classificados dos quatro grupos da Ronda de Elite, e os vencedores dos 'play-offs' a disputar entre os quatro segundos classificados.

Portugal procura a sua sexta participação consecutiva num Mundial, depois das presenças em 2000 (Guatemala), 2004 (Taiwan), Brasil (2008), Tailândia (2012) e Colômbia (2016), esta última com o melhor resultado, no quarto lugar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.