O ciclista esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma) segurou hoje a liderança do Critério do Dauphiné, ao terminar em segundo a terceira etapa, vencida em solitário pelo italiano Davide Formolo (UAE-Emirates).

O italiano conquistou a sua primeira tirada do ano, ao consumar uma fuga de praticamente 110 quilómetros, iniciada com outros oito corredores, concluindo os 157 quilómetros da viagem entre Corenc e Saint-Martin-de-Belleville em 04:06.56 horas.

Formolo enfrentou sozinho a subida ao Col de la Madeleine, quando estavam percorridos cerca de 86 quilómetros, conseguindo terminar com uma vantagem de 33 segundos sobre os primeiros perseguidores, entre os quais o líder da corrida francesa.

Roglic, que tinha vencido a etapa de quinta-feira, foi o segundo a cruzar a meta, com o mesmo tempo do francês Thibaut Pinot (Groupama-FDJ) e do alemão Emanuel Buchmann (Bora-hansgrohe), que assim mantiveram intacto o pódio.

O campeão nacional esloveno aumentou a vantagem sobre Pinot, para 14 segundos, e Buchmann, para 20, graças às bonificações.

O colombiano Egan Bernal (INEOS), detentor do Tour, voltou a ‘cair’ na classificação, ocupando o sétimo posto, a 31 segundos de Roglic, depois de não ter ido além do 14.º posto na etapa, a 42 segundos de Formolo, ao descolar do primeiro grupo perseguidor na subida para a meta.

Nelson Oliveira (Movistar), o único português em prova, foi o 119.º a terminar a etapa, 26.46 minutos depois do vencedor, ocupando agora o 81.º posto da geral, a 42.43 do líder.

No sábado, o pelotão da tradicional antecâmara do Tour vai enfrentar os 153,5 quilómetros da quarta e penúltima etapa, entre Ugine e Megève, num traçado com seis prémios de montanha, um de categoria especial, três de primeira e dois de segunda, o último dos quais coincidindo com a chegada.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.