O ciclista argentino Maximiliano Richeze (UAE Emirates), que testou positivo ao novo coronavírus há 10 dias, teve hoje alta de um hospital de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, onde se encontrava internado há 18 dias.

O ‘sprinter’ recuperou a saúde, conforme revelam os últimos testes aos quais foi submetido, depois de ter participado na Volta aos Emirados Árabes Unidos, que foi suspensa em 26 de fevereiro devido a indícios de infeção em alguns elementos da caravana velocipédica.

“Após 18 dias no hospital, os meus últimos dois testes foram negativos à Covid-19 e eu recebi alta”, revelou através das redes sociais Maximiliano Richeze, de 37 anos, endereçando um agradecimento aos profissionais que o trataram no hospital de Abu Dhabi.

“Obrigado aos médicos e enfermeiras do Hospital Abu Dhabi por me curarem. Obrigado à minha equipe pelo apoio demonstrado e, especialmente, a todas as pessoas pelas mensagens e pelo carinho”, acrescentou o ciclista da UAE Emirates.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro de 2019, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu, com mais de 226.000 infetados, é aquele onde está a surgir atualmente o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 6.820 mortos em 69.176 casos registados até terça-feira.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Em Portugal, há 43 mortes e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.