A Federação Portuguesa de Basquetebol vai abrir um inquérito aos incidentes ocorridos quarta-feira no último jogo da final dos "play-offs" da Liga, disputado no pavilhão Dragão Caixa, no Porto, que deu o título de campeão nacional ao Benfica.

Em declarações à agência Lusa, Mário Saldanha, presidente da Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB), avançou que vai esperar pelos relatórios dos árbitros, comissários e diretor da prova, Pinto Alberto, além do relatório da polícia, para saber o que se passou.

«Estamos à espera do relatório da polícia e o relatório dos árbitros e dos comissários e do diretor da prova. Vai ter de haver um inquérito. É absolutamente necessário que tudo seja apurado», sublinhou o responsável.

Mário Saldanha afirmou estar «muito triste» com tudo o que se passou no Porto, adiantando que «não era previsível» que acontecessem «todas aquelas cenas no final do jogo».

«Toda aquela confusão não dignifica a modalidade, mas é causada por terceiros. Dentro de campo houve sempre uma luta correta, houve um jogo que, não foi brilhante em termos de resultado, de muitos pontos, mas foi um jogo disputado com respeito dos jogadores uns pelos outros e treinadores», reconheceu o dirigente.

Maria Saldanha adianta que o jogo era considerado de risco, e que tal situação foi comunicada à tutela, e que estava polícia destacada no local para o efeito.

«Mas há coisas que não conseguimos controlar, estas coisas exacerbadas que acabam por acontecer e prejudicam os clubes e a modalidade. É triste acontecer numa final, um ano inteiro a jogar para aquele momento», lamentou.

Segundo Mário Saldanha, «algumas coisas vão ter de ser repensadas», pelo que a federação irá reunir-se e terá de tomar algumas decisões que possam evitar este tipo de incidentes no futuro.

No entanto, o dirigente reconheceu igualmente que será difícil «erradicar» estes incidentes, mas admite que o que aconteceu quarta-feira «foi demais», salientando «que não se pode tolerar» situações daquelas.

Para Mário Saldanha o que aconteceu reflete o ambiente que se vive em torno do futebol, afirmando que se trata da «futebolização das modalidades», que «andam a reboque».

«É uma pena porque o basquetebol não se tem pautado ao longo do tempo com estas cenas. Eu já sou há mais de 20 anos presidente da federação e só me lembro de uma situação e também no Porto quando eu era presidente do Queluz, voltou 20 e tal anos depois», recordou.

Os incidentes no final encontro com o FC Porto, que o Benfica venceu por 56-53, levaram a equipa "encarnada" a sair de campo sob proteção policial, debaixo de uma chuva de objetos lançados por adeptos do FC Porto, sem que se tenha procedido à entrega do troféu, como estava previsto, realizando-se, posteriormente no balneário, segundo informação do clube da Luz.

No fim do jogo, na sequência de distúrbios, a polícia carregou sobre vários adeptos e a cerimónia de consagração não se realizou, como previsto, dentro do pavilhão e o Benfica saiu de campo sob proteção policial.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.