O diretor técnico do atletismo do Sporting, Carlos Silva, considerou que a equipa feminina ainda tem muito trabalho pela frente para assegurar o título na Taça dos Clubes Campeões Europeus de pista.

“Tivemos prestações muito boas, em algumas das disciplinas, com resultados francamente bons, excelentes vitórias, e não fraquejámos na estafeta, que estava um pouco desequilibrada, pois fomos obrigados a fazer alguns ajustamentos, mas no geral, fizemos o que tínhamos de fazer para lutar pelo triunfo”, disse.

Após o primeiro dia, as ‘leoas’ seguem na frente com mais um ponto do que as turcas do Enka e já mais 18 do que as checas do USK Praga.

“Temos pela frente uma jornada muito emotiva e muito competitiva, pois até nas outras equipas há atletas que se podem imiscuir na luta pelo título. Teremos de agarrar o ânimo do ano passado para chegarmos ao tricampeonato”, concluiu Carlos Silva.

Na outra competição, masculina, a coordenadora do Benfica, Ana Oliveira, não estava tão satisfeita com o terceiro lugar, atrás do anfitrião Playas de Castellón e do Roterdão.

“Tivemos alguns resultados que ficaram aquém da nossa expectativa, é verdade. Tivemos também que fazer ajustamentos na estafeta, pois o Diogo Antunes está lesionado e o David Lima também se lesionou esta manhã. Por outro lado, tivemos de tomar decisões em relação ao Pedro Pichardo, e acabámos por optar por não o colocar a competir”, referiu.

A dirigente salienta que a diferença pontual entre as ‘águias’ e os espanhóis não tem diretamente a ver com a falta que fez o triunfo de Pichardo, porque houve outras provas que ficaram fora do esperado.

“Estamos aqui, na luta pelo título. Vamos analisar esta primeira jornada, falar com os atletas e ver onde poderemos melhorar”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.