O selecionador cabo-verdiano de andebol masculino considera que Cabo Verde vai ao Mundial do Egipto com foco no crescimento de mais uma etapa, mas avisou que vai para competir e não meramente para participar nesta montra mundial.

José Tomaz disse que vai continuar a trabalhar o combinado cabo-verdiano para aproveitar, da melhor forma possível, a sua estreia no mundial da modalidade, consciente que a pandemia da covid-19 dificulta o plano de trabalho que pretende implementar na próxima competição.

“Esta é uma oportunidade única para todos estarem junto dos melhores, para aprender e, com certeza, dar dignidade à nossa seleção. Não vamos participar, vamos para competir”, avisou o timoneiro dos “Tubarões Azuis”, por que é conhecida a seleção, para quem cabe a Cabo Verde focar no seu princípio de jogo, aliado ao processo de trabalho.

Tudo isto por entender que o combinado crioulo terá de tentar demonstrar que tem valores e que está a crescer, ainda que tem no seu grupo (A) a Alemanha, que tem no seu currículo o tricampeonato do mundo e um campeonato profissional de top com os melhores jogadores da atualidade.

Considerou determinante para Cabo Verde jogar sempre como uma equipa coesa, de muita luta, com humildade, sabendo das dificuldades que terá de ultrapassar, quando se sabe que num grupo com quatro seleções as três melhores classificadas apuram-se para a fase seguinte.

O 27º Campeonato do Mundo de andebol realiza-se de 13 a 31 de Janeiro de 2021 no Egipto e Cabo Verde partilha o Grupo A com os combinados nacionais da Alemanha, da Hungria e do Uruguai.

O Mundial do Egipto’2021 vai contar com o concurso de 32 seleções mundiais em representação dos cinco continentes e Cabo Verde afigura-se como uma das sete equipas de África qualificadas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.