O grande desafio da Federação Cabo-verdiana de Andebol para este ano passa pela organização do Campeonato Africano dos Clubes Campeões Africanos, de 17 a 26 de Outubro, na ilha de Santiago, assegurou hoje o seu presidente, Nélson Martins.

O presidente da federação nacional da modalidade disse à Inforpress que este campeonato poderá ser descentralizado entre as cidades da Praia e de Assomada, ou somente na capital do país, e vai contar com o concurso de 18 a 20 das melhores equipas africanas.

“Estamos a pensar, seriamente, em fazer uma fase em Assomada e outra na Cidade da Praia. Temos uma dificuldade apontada pela inspecção que é a questão do acesso, embora para nós seja normal o acesso”, indicou.

Segundo Nélson Martins, a inspecção entende que o percurso (Praia – Assomada – Praia) tem muitas curvas, aliada a questão da altitude, que pode causar algum mal-estar, e poderá ser rejeitado pelos treinadores ou equipas”, explicou.

Sublinhou, entretanto, que foram colocadas outras propostas sobre a mesa, nomeadamente fazer uma única viagem, mediante a realização de um grupo fixo na cidade de Assomada e outra na Cidade da Praia, o que implicaria uma única viagem ao interior, porque só na final desta poule os apurados viriam à capital para a fase seguinte.

Nelson Martins realçou que a Federação nacional está a trabalhar junto com a Confederação Africana de Andebol (CAHB) para que a prova não ultrapasse as 20 equipas, face a capacidade de acolhimento, porquanto “está-se a pensar em 500 pessoas”.

O líder federativo acredita que Cabo Verde estará à altura deste desafio, asseverando que já existe um “grande engajamento” do Governo e do Comité Olímpico Cabo-verdiano e que a sua direcção tem estado em contacto permanente com o director-geral dos Desportos e seu “staff” para analisarem a data da entrega do caderno de encargos.

Adiantou, que deverá ser criada, possivelmente ainda este mês, uma comissão para que se comece a preparar tudo.

Da Direcção-Geral dos Desportos enaltece a “total abertura”, pelo que promete entregar o projecto e orçamento em tempo, para que o país consiga, definitivamente, organizar esta prova da Confederação Africana de Andebol, com sucesso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.