O selecionador islandês de andebol, Gudmundur Gudmundsson, elogiou o sistema atacante ‘sete contra seis' de Portugal, que esteve na base da vitória histórica sobre a Suécia na ronda principal do Euro2020, mas manifestou-se "preparado para o contrariar".

"A seleção portuguesa joga muito bem nesse sistema, e isso foi visível com a Suécia, mas acredito que estaremos preparados para o contrariar”, disse Gudmundsson à agência Lusa, em Malmö, cidade sueca que será palco do jogo entre as representações dos dois países, no domingo, às 14:00 locais (13:00 em Lisboa).

A equipa das ‘quinas' alcançou na sexta-feira um triunfo histórico sobre a Suécia, anfitriã do Grupo II da ronda principal do Euro2020, por 35-25, tendo atacado durante toda a segunda parte no formato de ‘sete contra seis', para o qual os vice-campeões europeus não tiveram antídoto.

"Vai ser um jogo extremamente difícil, porque Portugal está a jogar muito bom andebol, e os resultados mostram-no. Eliminar a França [na fase preliminar do torneio] e ganhar à Suécia, em casa, por 10 golos, não está ao alcance de todos", reconheceu Gudmundsson.

O selecionador da Islândia considerou que a seleção treinada por Paulo Pereira "tem hipóteses de atingir as meias-finais", mas as restantes que compõem o Grupo II também, incluindo as que estão em ‘branco' - Islândia e Suécia -, porque se trata de um agrupamento "muito equilibrado".

"Portugal é, sem dúvida, uma das grandes surpresas do Europeu, mas não é a única, porque se é verdade que afastou a França no seu grupo, nós eliminámos no nosso a Dinamarca, que é a atual campeã do mundo", lembrou.

O lateral esquerdo Andres Gudmundsson partilha o apelido e a opinião do seu treinador sobre uma das mais temíveis armas da seleção nacional: "Utilizam muito o ‘sete contra seis' e fazem-no realmente bem. Estou seguro de que o vão utilizar também contra nós, por isso temos de estar preparados".

"Mostraram no jogo com a Suécia que são rápidos, fortes, tem um bom ataque, e um excelente guarda-redes. Todos os jogadores estão a jogar bem em todas as posições. Vai ser um jogo muito difícil", observou à Lusa o lateral esquerdo.

O jogador notou que "o andebol português tem estado a aproximar-se dos melhores da Europa, tanto na equipa nacional, como nos clubes", mas não escondeu alguma surpresa com o desempenho na competição: "É claro que ficamos um pouco surpreendidos quando os vemos bater a França e a Suécia".

Portugal defronta no domingo a Islândia, em jogo da segunda jornada do Grupo II da ronda principal do Euro2020, que é liderado por Noruega e Eslovénia, com quatro pontos, seguidas da equipa nacional e da Hungria, com dois, enquanto os islandeses e a Suécia ainda não pontuaram.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.