Com o isolamento todos fomos  obrigados a adaptar as nossas rotinas, sendo forçados muitas vezes a muda-las radicalmente. Se para o comum dos mortais, essa adaptação não é fácil, o que dizer daqueles que precisam de espaços para correr, saltar, rematar, nadar , etc...

São esses casos que o SAPO Desporto vai procurar trazer ao longo dos próximos tempos, com os relatos de atletas das várias modalidades desta vida 'caseira'.

Hoje falamos com Alexis Santos, nadador que representa o Sporting Clube de Portugal e que já marcou presença nos Jogos Olímpicos de 2016, tendo inclusive bilhete para os Jogos de Tóquio, que recentemente foram adiados.

Falamos com o nadador, não só sobre este adiamento, como da forma como está a adaptar a sua rotina de treino aos novas circunstâncias.

SAPO Desporto: Como é que um atleta olímpico vive toda esta situação?

Alexis Santos: "Não é fácil, quer como atleta olímpico quer como uma pessoa normal. É uma situação que ninguém imaginava que iríamos viver nas nossas vidas. Tenho tentado manter mais ou menos a minha rotina, o mais normal possível, mas sem poder ir à piscina... torna-se muito anormal"

SD: Como é que o Alexis em conjunto com o Sporting, Comité, treinador se adaptaram a toda esta situação, em relação aos treinos, por exemplo?

AS: "É assim, eu já não entro na piscina, faz hoje duas semanas praticamente. As piscina continua fechada, não sei ainda nada em relação a isso. Entretanto também me emprestaram uns materiais de treino, pesos, elásticos e coisas assim para conseguir fazer em casa, um remo também. O treino que faço é treino em seco, em casa, com os materiais que tenho à minha disposição. Tentar manter o mínimo de forma física"

SD: Treinar em casa complica tudo um pouco mais, não é?

"Sim, ainda para mais para nadadores. Malta de outros desportos, como o atletismo, sempre pode ir correr à rua. Existem alguns desportos que sempre consegues manter o nível, agora nós não tendo piscina, não indo à água, fica muito difícil"

SD: "Este adiamento dos Jogos Olímpicos, o Alexis já tinha a qualificação garantida, foi a decisão certa, na sua opinião?

AS: "Sim, acho que neste momento não havia outra maneira de fazer as coisas, sinceramente. Claro que é uma decisão difícil de tomar, mas acho que não havia hipótese. Há muitos atletas sem puder treinar corretamente, outros a treinarem, ia haver uma desigualdade enorme, acho que não era justo. Neste momento, acho que o principal pensamento tem de ser na saúde dos atletas e não nos treinos e nas competições. Acho, sem dúvida, que foi a decisão certa"

O treino de Alexis Santos, com uma ajuda especial O treino de Alexis Santos, com uma ajuda especial
créditos: Instagram @aleximsantos

SD: É muito complicado fazer agachamentos com a sua cadela?

AS: [Ri] Não, ela até é levezinha. Ainda só tem um ano, ainda está a crescer, por isso ainda só pesa 20 e poucos quilos. Ainda me aguentei bem"

SD: Além dos treinos, como é que vai ocupando os tempos livres?

AS: "Agora os passeios com a cadela até sabem bem, não é? Até à noite sabe bem sair de casa e ir passea-la. De resto é estar em casa, ver séries, comer bem, descansar, tentar manter os horários, também para não descarrilar nesse aspeto"

SD: Já agora, e para terminar, que séries é que sugeres? O que é que anda a ver?

AS: Não sei, na Netflix há tanta coisa... Narcos, que já vi. Agora comecei a ver uma série que é 'Sons of Anarchy' e são as minhas duas sugestões"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.