O chefe da Missão portuguesa aos Jogos Olímpicos Tóquio2020 admitiu hoje que a fase de qualificação continua a decorrer “dentro do planeado” e que estão a ser trabalhadas soluções para as condições atmosféricas no Japão.

Em declarações à agência Lusa, a menos de um ano do início dos Jogos, Marco Alves disse que as qualificações e a preparação “continuam a correr dentro do planeado” e que, neste momento, já estão “a trabalhar muito mais perto nesta fase com o comité organizador, num diálogo nem sempre fácil, mas a tentar criar as melhores condições para os atletas que vão estar a representar Portugal em Tóquio”.

“Nós apontámos 70, 80 [atletas apurados], as previsões continuam a apontar nesse sentido, temos confiança que podemos chegar a esse número. (…) Mas estamos nesse intervalo entre os 70 e 80”, afirmou Marco Alves, numa altura em que Portugal já tem 26 quotas garantidas.

À margem de um debate promovido pelo Panatlhon Clube de Lisboa, Marco Alves comentou ainda a possível mudança da maratona e das provas de marcha para Saporo, mais de 800 quilómetros a norte de Tóquio, devido às temperaturas elevadas na capital japonesa.

“Estamos a aguardar a comunicação oficial. As condições em Saporo são relativamente melhores para a saúde dos atletas, quando comparadas com Tóquio. Mas ainda estamos a aguardar uma decisão final”, afirmou.

Sobre estas condições extremas, Marco Alves adiantou que o Comité Olímpico de Portugal (COP) já tem “um conjunto de parcerias já estabelecidas”, destacando a com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), que vai ajudar os atletas a perceber “quais serão as condições no dia da competição”.

“Estamos também em contacto com a Universidade de Coimbra, que tem um projeto, entre a Faculdade de Desporto e a Faculdade de Engenharia, em que existe uma câmara em que é possível simular radiação, temperatura, humidade. Alguns atletas já se estão a preparar para as condições que vão encontrar em Tóquio. Algum desse trabalho já foi visível em Doha, onde as condições eram mais extremas. O João Vieira e a Carla Salomé Rocha tem estado a preparar-se com estas entidades”, referiu.

Para Marco Alves, “as condições de Tóquio são um desafio, mas quem chegar melhor vai conseguir melhores resultados”, adiantando que “há várias soluções a serem ensaiadas” para dar as melhores condições aos atletas.

O chefe de Missão lembrou que já houve vários atletas a participares, este ano, em eventos testes em Tóquio, na mesma altura em que se vão disputar os Jogos Olímpicos, o que deu para se ficar com uma noção do que se pode esperar.

“Há uma facilidade, que é o facto de a Aldeia dos Atletas abrir bastante cedo, o que permite que muita da adaptação pode ser feita na própria Aldeia. Temos um misto de soluções que as federações estão a optar, umas para fazer a adaptação já em Tóquio, outras noutras cidades do Japão, outras no Oriente. Temos um misto de soluções que tem muito a ver com as condições ideais do treino”, disse.

Os Jogos Olímpicos Tóquio2020 realizam-se de 24 de julho a 09 de agosto de 2020.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.