Banka derrotou o dominicano Marcos Diez, antigo nadador de águas abertas de 44 anos que é vice-ministro do desporto do seu país, na sucessão ao britânico Craig Reedie para liderar a instituição que combate o doping à escala mundial.

Esta eleição será ratificada a 07 de novembro em Katowice, Polónia, na reunião do conselho de fundadores da AMA.

Desde a sua criação, em 1999, a AMA submete-se a um princípio de rotação da presidência entre o movimento olímpico (COI) e as federações internacionais e os governos que a integram.

Banka evitou amplamente a discussão do caso russo que consumiu a AMA nos últimos quatro anos e que deixou a nu falhas no mecanismo de vigilância, pedindo, ao invés, mais verbas para os laboratórios antidoping em todo o mundo.

O polaco foi eleito em janeiro pelo Conselho de Europa para representar o continente, vencendo a antiga ministra norueguesa Linda Helleland, por 28 votos contra 16.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.