Maurizio Sarri voltou a deixar Ronaldo fora dos eleitos para a Liga Italiana. Este fim-de-semana, o craque português não esteve em campo na vitória da 'Vecchia Signora' sobre o Brescia por 2-0, resultado que deixa a equipa na liderança da Serie A.

A decisão do técnico da Juventus foi a pensar no ciclo de jogos que aí vem, principalmente na 'Champions', onde a Juventus vai defrontar o Lyon, nos oitavos-de-final da prova.

"Fizemos o que tínhamos a fazer. Decidimos deixar Ronaldo a descansar, pois ele não pode jogar sempre", justificou Sarri.

A vitória da Juventus foi conseguida graças aos golos de Dybala, aos 38 minutos, de livre direto, e de Cuadrado, que jogou mais a frente, na ausência de Ronaldo. O jogo frente ao Brescia marcou o regresso de Chiellini à competição, quase seis meses depois de o central ter contraído uma lesão grave nos ligamentos de um joelho. Entrou e recebeu a braçadeira de capitão.

"Na verdade, Chiellini é que fez a substituição. Virei-me e ele já estava à minha frente com a camisola vestida e a perguntar quando tempo faltava para entrar. Portanto, não pude recusar", explicou Sarri.

Com a vitória por 2-0 ante o Brescia, Maurizio Sarri tornou-se no segundo técnico da 'Juve' a vencer 16 dos 17 primeiros jogos em casa, depois de Carlo Parola em 1960.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.