Rui Águas, treinador da seleção de Cabo Verde, respondeu a Sérgio Conceição depois da resposta do técnico dos 'dragões' às suas declarações em que pedia mais tempo para Zé Luís e que não percebia a sua saída do onze do FC Porto.

Sérgio Conceição responde a Rui Águas: "Não foi profissional"
Sérgio Conceição responde a Rui Águas: "Não foi profissional"
Ver artigo

Em declarações na noite de sexta-feira ao canal televisivo RTP 3, o selecionador cabo-verdiano aconselhou o técnico dos 'dragões' a ouvir a entrevista.

"Convidava o Sérgio Conceição primeiro que tudo a tentar ouvir aquilo que eu disse, que não acredito que tenha feito, e que faz toda a diferença. (...) A entrevista que eu dei foi a uma rádio, actualmente a pessoa fala para a rádio e as coisas são reproduzidas e escritas, por vezes com algumas diferenças. (...) E mais uma vez eu sugeria ao Sérgio que ele ouvisse, para constatar aquilo que eu estou a tentar explicar", afirmou.

Esta entrevista que me fizeram, eu disse que com o início, não estava a falar da atualidade, nem dos jogos de seleção nem lesões que entretanto foram aparecendo, nada disso. Estava a falar que com o início do Zé Luís no FC Porto, com os golos que marcou, foi o melhor marcador durante algum tempo do campeonato, nessa altura eu achava que, mesmo com a concorrência, que ia haver ali uma luta boa. Eu disse só que achava que com aquele início o Zé Luís ia ter alguma continuidade na equipa, pura e simplesmente", acrescentou.

"Acho que dentro da minha condição de selecionador e treinador do Zé Luís tenho legitimidade para dar a minha opinião, livremente. Não regressamos de repente a 1973. Falei de uma maneira simples, sem problemas, as coisas hoje em dia tomam repercussões que nós sabemos como é", considerou o técnico, abordando ainda o profissionalismo que Sérgio Conceição pôs em causa.

"A questão do profissionalismo é que acho um 'exagerozinho', uma pessoa não é mais profissional ou menos profissional porque liga ao treinador ou não liga ao treinador. Eu neste caso não tenho uma regra, há treinadores que me ligam, eu ligo a alguns treinadores quando estou mais próximo deles, eu ligo aos jogadores quando entendo que devo", disse.

Rui Águas deixou ainda o conselho a Conceição para gerir melhor estas situações que surgem quando se treina um clube grande.

"Incoerências acontecem, stress grande, treinador de clube grande vê-se na obrigação de responder a isto, aquilo e ao outro acho que é um desgaste permanente que pode gerir de outra maneira, porque só lhe faz bem", concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.