Luciano Gonçalves, presidente da APAF, disse, nas redes sociais, que não recebe "recados e não anda a toque", na sequência da polémica em torno da arbitragem de Artur Soares Dias no FC Porto-Benfica.

Eis o comunicado:

“O respeito, os valores e os princípios não se compram com dinheiro ou posição social, ou se nasce e se cultiva ou não existem…

Não pode valer tudo…

O futebol já me trouxe de tudo desde os meus 14 anos… alegrias, tristezas, sofrimento, paixão, desilusão enfim uma série de sentimentos, mas a forma como os encaro nas várias funções foi sempre iguais, com dignidade e princípios…

Eu ao contrário de muita gente “Neste Futebol” prejudiquei-me financeiramente para cá andar, deixei a minha família passar menos bem, para ir atrás do que acredito e não vice-versa.

E é isso que vou fazer enquanto acreditar que é possível, não recebo recados nem ando a toque…

O que me motiva é acreditar no futuro e nas bases, não estou agarrado a lugares, pois eu tenho uma grande vantagem em relação à maioria destes que teimam em destruir a nossa paixão.

A minha vantagem é que quando eu entender que não vale a pena continuar a lutar pelo que acredito, ou seja, um futebol melhor para os nossos filhos e netos, eu vou embora, volto à minha vida, sei fazer outras coisas, sei viver noutro mundo, pois foi daí que vim, sei o que é andar nas obras, sei o que é viver com tostões para sustentar os filhos, sei andar a trabalhar de roupa suja….

É essa a minha vantagem não precisar deste pseudo status que o futebol lhes dá ou melhor lhes cobra….

E aviso já que não tenho medo, não me intimidam com mensagens, telefonemas ou contato com meus filhos ou familiares, e se o objetivo é outro… acabaram de me motivar mais ainda a continuar.

Mas que raio de futebol é este…. Que desporto é este….”

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.