Oito minutos bastaram para que o FC Porto desse a volta a um empate e goleasse esta sexta-feira o Portimonense por 4-1, no encontro de abertura da 12.ª jornada da I Liga. Depois do 1-1 no final dos 45 minutos, três golos de Soares, Brahimi e Marega deitaram a baixo a estratégia da equipa liderada por António Folha, num jogo que marcou o regresso de Jackson Martínez ao estádio do Dragão.

Sérgio Conceição apresentou uma equipa inicial quase na totalidade igual àquela que no último fim de semana derrotou no Bessa o Boavista com um golo de Hernâni ao cair do pano. A única mudança foi a entrada para o ataque de Tiquinho Soares para o lugar de Herrera. Do lado do Portimonense, Jackson Martínez foi titular depois de durante a semana a sua titularidade ter estado em dúvida devido a uma lesão.

E nem dez minutos de jogo estavam decorridos quando os campeões nacionais ficaram em desvantagem. Cruzamento milimétrico de Shoya Nakajima, e o brasileiro Tormena aparece na área a cabecear à vontade para o fundo das redes azuis e brancas. Foi o primeiro golo do defesa-central no campeoanto português. Logo de seguida, o emblema algarvio dispôs de uma boa oportunidade para ampliar a vantagem. Shoya recupera a bola depois de um mau passe de Felipe e corre para a área, mas o central portista recupera terreno e acaba por desarmar o japonês já na área.

O FC Porto empatou a partida aos 17 minutos, mas o golo acabaria por ser anulado por fora de jogo. Na sequência do pontapé de canto, Brahimi aparece à entrada da área a atirar para o fundo da baliza do Portimonense, mas o árbitro invalidou o lance por posução irregular de Soares. Manuel Mota recorreu ao videoárbitro João Pinheiro e confirmou a sua decisão inicial.

Não foi à primeira, foi à segunda e aos 23 minutos que os campeões nacioanis colocaram a bola no fundo das redes defendidas por Ricardo Ferreira. Canto batido por Alex Telles, Marega antecipa-se ao adversário e de cabeça desviou para a baliza dos algarvios.

O Portimonense respondeu com uma jogada perigosa e que só não deu em golo por um desacerto na hora da finalização. Cruzamento de Manafá para Paulinho na área, mas este escorrega e não consegue chegar em condições para o remate. Minutos depois, Soares colocou em sentido o guarda-redes Ricardo Ferreira. Livre batido por Alex Telles, Soares aparece de cabeça a atirar com intenção, mas o guarda-redes dos algarvios voou para impedir o golo do brasileiro.

Num jogo de parada e resposta, o Portimonense voltou a criar perigo junto da baliza de Casillas. Marega perdeu a bola, dando origem a contra-ataque do Portimonense. Nakajima conduziu a jogada, tentou servir Jackson Martínez mas apareceu Danilo Pereira a afastar o perigo.

Soares voltou a estar perto de marcar aos 34 minutos. Servido por Marega, o brasileiro teve nos pés o 2-1, mas o remate cruzado sai rasteiro e a centímetros do poste. Poucos minutos depois foi Otávio a perder a oportunidade de fazer o segundo golo dos Dragões. Soares abre para o médio, este passa por Rúben Fernandes, mas adianta demasiado a bola e permite a defesa de Ricardo Ferreira.

Sérgio Conceição não estava contente com a prestação da sua equipa, principalmente na recuperação de bola, e decidiu ainda na primeira parte proceder à primeira alteração. Héctor Herrera entrou para o lugar de Óliver.

E foi pouco depois da entrada do mexicano que Casillas se teve de aplicar para defender um remate de Jackson. Cruzamento de Shoya, o avançado colombiano domina e atira prontamente, mas valeu o desvio do guarda-redes portista. Na jogada seguinte, Soares passou para Brahimi, o argelino rematou mas tinha Ricardo Ferreira pela frente e o guardião voltou a encaixar a bola.

A segunda parte trouxe um FC Porto diferente, diferença essa que começou a notar-se após a entrada de Herrera, e em menos de dez minutos os azuis e brancos tornaram o empate numa vitória expressiva. Soares completou a reviravolta no marcador aos 57 minutos. Toque de Marega para o segundo poste, e Soares aparece à vontade a finalizar. Dois minutos depois Brahimi marca o terceiro dos 'dragões', depois de uma rápida jogada de contra-ataque. Danilo recupera a bola e faz um passe para Brahimi que foi rápido a receber e a rematar para uma finalização perfeita.

O 4-1 surgiu aos 64 minutos por Marega. Canto de Alex Telles, Militão a desviar a bola e o avançado maliano atirou à meia-volta para o fundo das redes de Ricardo Ferreira. O árbitro Manuel Mota recorre ao vídeoárbitro para validar a legalidade da posição do jogador e confirma a goleada dos campeões nacionais.

Na classificação, o FC Porto, que somou o 11.º triunfo consecutivo em todas as competições, passou a somar 30 pontos, contra 25 do Sporting, 24 do Sporting de Braga e 23 do Benfica, que ainda não atuaram na ronda 12.

 

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.