Luís Neto foi questionado, esta quarta-feira, pelos jornalistas sobre o caso dos áudios que envolve Bruno Fernandes, no qual o capitão do Sporting deixa críticas aos colegas de equipa. O defesa central 'leonino' saiu em defesa do capitão, considerando tratar-se de uma reação normal após uma derrota.

"É algo privado. Qualquer jogador, no final de um jogo, e depois de uma derrota…se me metessem uma escuta em casa eu diria pior. A mim interessa-me aquilo que ele diz no balneário. Tudo o resto, a situação de uma eventual saída, aquilo no balneário no Bessa…prefiro ouvir o que ele diz aqui. A responsabilidade de jogar no Sporting, a exigência para que toda a gente tenha medo de jogar em Alvalade... O resto é privado, nem devia ter vindo a público", respondeu o central.

Sobre a influência de Bruno Fernandes em campo, Neto assumiu que a equipa precisa de alternativas.

"É um jogador importantíssimo. Temos vários jogadores para o ajudar, e isso são variantes que iremos trabalhar. A influência do Bruno não é só dentro de campo, é também fora. Temos de ter diferentes soluções para surpreender e criar dificuldades. Caso contrário pode acontecer o que tem acontecido, que é tentarem bloquear o Bruno ao máximo e ficarmos limitados", vincou.

Renan, guarda-redes 'leonino' também desvalorizou o áudio do capitão. Apesar de lembrar que “desde que existem estas tecnologias é preciso ter mais cuidado”, o guardião preferiu apontar ao detalhe as “reuniões” de que se fala nas referidas gravações.

“Estávamos a passar um momento difícil e essas reuniões são positivas. Toda a família que não se reúne, não evolui, portanto é isso que tem de acontecer, para falarmos dos aspetos positivos e negativos e podermos crescer”, sublinhou o brasileiro aos jornalistas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.