Rafa saiu do banco para cortar a meta da primeira volta e fazer com que o Benfica fechasse com chave de ouro a primeira ronda da Primeira Liga ao vencer o Sporting, em Alvalade, por 0-2, somando a 17.ª vitória consecutiva no campeonato, um número recorde.

O Jogo: 'Águias' superiores durante boa parte dos 90+10 minutos

O Sporting chegava ao 'dérbi' sem Vietto, por lesão e Coates, por acumulação de amarelos, obrigando Silas a mexer no onze, colocando Ilori e Camacho na equipa titular, deixando Battaglia e Borja, titulares em Setúbal, no banco.

Do outro lado da barricada, estava o Benfica de Lage, que repetiu a dupla Weigl-Gabriel do jogo frente ao Desportivo das Aves e colocou Seferovic no banco, tal como já havia estado no confronto das 'águias' frente ao Rio Ave para a Taça de Portugal.

O jogo começou com um Benfica forte, a ameaçar desde cedo e a mostrar ao que vinha. Aos dois minutos, as 'águias' deram o primeiro sinal de perigo quando depois de Vinícius fugir a Maximiano passa a bola a Cervi que se preparava para rematar a uma baliza deserta, valeu Ilori que de 'carrinho' cortou o perigo.

O Sporting tinha dificuldade em responder e o Benfica, com uma pressão alta, ia rondando a baliza de Max que aos 12 minutos foi chamado a uma grande defesa depois de remate de Pizzi.

Na resposta a Pizzi, Camacho (um dos melhores do Sporting na partida) surgiu pela direita aproveitando uma falha de Ferro e rematou com estrondo ao poste da baliza defendida por Vlachodimos.

O Benfica não abrandava e continuava a dar trabalho à defesa do Sporting, com Gabriel aos 21' a obrigar Max a esticar-se e André Almeida aos 31' a fazer os adeptos 'encarnados' presentes em Alvalade gritar golo, mas a bola foi à malha lateral.

O Sporting tentava reagir e Camacho voltou a aparecer à frente de Odysseas aos 33' obrigando o guardião das 'águias' à defesa, sendo que no minuto seguinte os leões colocaram a bola na baliza, mas o lance foi invalidado por fora de jogo de Luiz Phellype.

A segunda parte começou... e foi logo interrompida, quando dos setores reservados às claques do Sporting começaram a chover tochas, petardos e potes de fumo para junto da baliza defendida pelo guardião 'leonino'.

Cenas absolutamente lamentáveis e que em nada beneficiam o espectáculo, que acabaram por interromper a partida durante largos minutos e que invadiram todo o Estádio de Alvalade com fumo.

A partida retomou-se, mesmo com o fumo que ainda persistia no relvado e o Sporting mostrou a sua melhor cara até então na partida. Ilori aos 55' cabeceou para as mãos de Odysseas e Doumbia, de fora de área, rematou e obrigou o guardião grego a esticar-se para defender com a ponta dos dedos ao minuto 63.

Depois de 10 minutos em que os 'leões' encostaram a 'águia' à sua grande área, a 'águia' acordou. Lage fez a primeira mexida com a saída de Chiquinho para a entrada de Rafa, aos 74 minutos e mal se sabia que o trunfo do Benfica estava a acabar de sair do banco, tal D. Sebastião a surgir num dia de nevoeiro (só que neste caso foi fumo).

Em seis minutos, a primeira mexida de Lage no jogo 'mexeu' no marcador. Jogada de insistência de Vinícius, que já dentro da grande área 'leonina' passou ao companheiro que rematou para o fundo da baliza defendida por Max fazendo o golo, que demorou uns bons minutos a ser validado pelo VAR, mas que acabou por valer.

O Sporting tentava o empate, com Silas a fazer entrar Pedro Mendes e Borja, mas acabou por ser o Benfica a alcançar o segundo golo e novamente por Rafa.

Aos 90+9' um corte de Ilori vai parar a Seferovic, que passa a Rafa que com uma trivela fez o segundo da partida e da conta pessoal.

Com este resultado o Benfica bateu mais recorde somando a 17.ª vitória consecutiva na Primeira Liga, mas mais importante que o recorde é a vantagem pontual de sete pontos que as 'águias' alcançaram beneficiando da derrota do FC Porto frente ao SC Braga no jogo que antecedeu o dérbi da capital.

Já no Sporting a situação é bem diferente. Com a derrota frente ao eterno rival, os 'leões' ficam a 19 pontos do 1.º lugar, 12 do 2.º e podem deixar de depender de si mesmos para atingir o terceiro lugar caso o Famalicão vença o Marítimo no próximo domingo e alcance uma vantagem de quatro pontos sobre o Sporting.

O momento: Entrada de Rafa, minuto 74

É dificil fugir a Rafa neste dérbi. Depois de meses de ausência por lesão, entrou e bastaram-lhe seis minutos para fazer a diferença. Como se isso não bastasse ainda bisou aos 99' fechando em beleza o seu regresso aos jogos da I Liga.

O melhor: Rafa

Novamente Rafa. É incontornável falar do avançado que regressou em grande, bisando na partida. É caso para dizer que os três pontos estavam no banco.

O pior: Incidentes no início da segunda parte

O dérbi ficou marcado também pelo que aconteceu fora de campo, com a segunda metade da partida a ser interrompida depois de começarem a chover petardos, tochas e outros semelhantes vindos das claques do Sporting para junto da baliza defendida por Maximiano. Uma situação que em nada contribui para o espetáculo e que já levou Pedro Proença a pedir uma reunião de urgência ao ministro da Administração Interna e a PSP a investigar o sucedido.

Reações

Lage: "A vantagem que temos agora foi a que recuperamos o ano passado"

Luís Filipe Vieira diz que "não há favas contadas" num campeonato "competitivo"

Rafa: "Estamos focados no nosso trabalho"

Silas: "Não precisamos de milagres. Precisamos de trabalho"

Emanuel Ferro: "Jogo muito equilibrado entre duas equipas que quiseram dominar o jogo"

Rafael Camacho diz que o Sporting foi "a melhor equipa"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.