Maniche espera um clássico "intenso" e "equilibrado" entre FC Porto e Benfica, apontando ao facto de ambas as equipas estarem a praticar bom futebol. Ainda assim, o antigo futebolista atribui ligeiro favoritismo ao conjunto de Sérgio Conceição para o duelo da 24.ª jornada do campeonato.

"Será um jogo de dificuldade máxima, quer para o FC Porto, quer para o Benfica. As duas equipas estão a atravessar um bom momento: o FC Porto está confiante depois de uma vitória acentuada frente a outra grande equipa [SC Braga, para a Taça de Portugal], e o Benfica vem de uma goleada contra o Chaves e tem apresentado uma dinâmica fantástica. O facto de haver um ponto de diferença entre os dois não quer dizer nada, porque ambos vão jogar para ganhar. Agora é óbvio que o FC Porto, a jogar em casa e estando na liderança do campeonato, vai procurar atacar desde o primeiro momento", afirmou o antigo internacional português ao SAPO Desporto.

Apesar da carga simbólica que um clássico acarreta, mais ainda por se disputar entre dois candidatos ao título, Maniche considera que o jogo de sábado "não será decisivo". "Ainda faltam alguns jogos para terminar o campeonato e há sempre a possibilidade de tanto um como outro quebrarem até ao fim", defende o ex-jogador, que iniciou a carreira no Benfica mas foi no FC Porto que chegou ao estrelato de campeão europeu.

Maniche, de resto, não espera surpresas no onze por parte de Sérgio Conceição e Bruno Lage, confiando que as equipas vão jogar à semelhança do que têm vindo a fazer até ao momento: "Os dois treinadores são inteligentes e sabem que não podem arriscar tanto num jogo como este. Ambos vão respeitar-se mutuamente. Na Taça da Liga o Benfica jogou cara a cara com o FC Porto e acredito que se apresente da mesma forma, mas cada clássico é diferente. E volto a dizer: pelo facto de jogar em casa, é de esperar um FC Porto mais agressivo em termos ofensivos."

As imagens do último clássico entre o FC Porto e o Benfica, para a Taça da Liga

Uma das incógnitas para este FC Porto-Benfica prende-se com a disponibilidade de Marega. O avançado maliano contraiu uma rotura muscular no passado dia 3 de fevereiro, frente ao Vitória de Guimarães, mas recuperou mais cedo do que previsto, tendo ficado no banco no duelo contra o SC Braga. Maniche não tem dúvidas de que o jogador, estando reabilitado, será opção frente às 'águias'.

"Se estiver disponível, acredito que jogue de início. Neste tipo de jogos não há que fazer poupanças, o Sérgio Conceição vai querer jogar com a melhor equipa e o Marega é um dos melhores jogadores do FC Porto", defende o antigo internacional português, enaltecendo a qualidade do plantel às ordens de Conceição, com "jogadores criativos como Brahimi, mas bastante forte no seu todo".

No lado do Benfica, Maniche elogia as jovens promessas 'encarnadas', mas alerta para o peso de jogar um clássico na casa do rival.

"O João Félix tem vindo a fazer a diferença e o Florentino também tem correspondido à aposta que foi feita nele. Mas jogar contra o FC Porto não é a mesma coisa que jogar contra o Chaves, com todo o respeito pelo Chaves, ainda mais num palco como o Dragão. O estado emocional vai ser outro, os nervos vão estar à flor da pele, resta saber como é que estes jovens vão reagir a isso. Por outro lado, será uma oportunidade de mostrarem perante um grande adversário aquilo que têm vindo a fazer contra outras equipas", refere o antigo médio, que destaca ainda a "surpresa" que foi ver Gabriel assumir-se como indiscutível no meio-campo das 'águias'.

Sobre Óliver, jogador que atravessa um bom momento nos 'azuis e brancos', Maniche não descarta a sua titularidade frente ao Benfica, até porque, refere, "tem a vantagem de se adaptar seja qual for o sistema tático apresentado por Sérgio Conceição".

O clássico entre FC Porto e Lisboa está marcado para sábado, às 20h30, no Estádio do Dragão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.