O presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) concedeu uma entrevista ao jornal portuense 'O Jogo', na qual fala de alguns dos temas mais polémicos da arbitragem nos últimos tempos.

O assunto dos últimos dias tem sido a 'guerra' entre o Benfica e a alegada agressão com uma moeda a Tiago Martins no encontro com o Vitória de Setúbal. Os encarnados acusam o árbitro de ter falsificado o relatório do encontro e Luciano Gonçalves admite que a APAF fez "exposição ao Conselho de Disciplina sobre as acusações do Benfica".

O dirigente falou também de outra polémica, esta envolvendo o FC Porto, quando em setembro, o vídeoarbitro do encontro entre Portimonense e FC Porto, Vasco Santos, admitiu à comunicação social que não existiu razão para assinalar grande penalidade a favor do clube portista.

Luciano Gonçalves não concordou com a atitude de Vasco Santos e admitiu não ser a favor de "explicações pontuais. Ou é sempre ou é nunca", acrescentando ainda que não vê "com muito agrado que sejam uma vez mais os árbitros a assumir os seus erros quando não vemos mais nenhum agente a fazê-lo".

O presidente da APAF reagiu ainda às acusações de Francisco J. Marques, que o acusa de ter "uma ligação umbilical ao Benfica. Devia demitir-se. Nem um pio deu nesta situação do Tiago Martins."

"Não merece resposta. Mas, o meu clube não é o Benfica, que fique bem claro", garantiu Luciano Gonçalves, revelando mesmo que se arrepende de ter mantido ligação com o clube da Luz. "Não voltava a pedir bilhetes ao Benfica", garantiu o presidente da APAF.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.