Gustavo Assunção, jogador do Famalicão, clube que lidera a I Liga portuguesa de futebol, não se deixa deslumbrar pelos resultados, mas garante que a união está na base do sucesso alcançado até agora.

Gustavo é uma das figuras do arranque de temporada surpreendente do Famalicão. O médio-defensivo, de 19 anos, deixou o Atlético de Madrid, no qual treinava já com a equipa principal, e assinou por cinco épocas com o clube português, e é opção indiscutível do treinador João Pedro Sousa.

O jogador, que define o Famalicão como uma família, defendeu que "existem duas chaves para o sucesso" do clube e que faz com que estejam em primeiro lugar da I Liga.

"A união dentro do balneário e a união fora, que abrange também os adeptos, ajuda-nos neste percurso. É essa a chave do sucesso", explicou o jogador que defendeu ainda que os objetivos não se desviam do traçado inicialmente, apesar de as coisas estarem a correr da melhor forma: "O nosso objetivo principal sempre foi a manutenção na I Liga. É ótimo termos 19 pontos e estarmos em primeiro, porque consolida o trabalho que temos feito".

Questionado sobre até onde o Famalicão poderá chegar, Gustavo optou por ‘jogar à defesa'.

"Pensamos sempre jogo a jogo. Estamos bem, temos trabalhado bem. Os treinos são intensos, os jogos são fortíssimos. Nós vamos continuar com o mesmo objetivo, jogo a jogo e se continuarmos a ganhar... Só deus sabe", disse.

O médio é filho de Paulo Assunção, que jogou no FC Porto entre 2005 e 2008 e que agora, do lado de fora, dá conselhos para que Gustavo consiga ir o mais longe possível na carreira de futebolista.

"O meu pai diz-me para dar tudo no campo. Ele sempre foi um exemplo para mim. Nunca vi o meu pai parado dentro do campo. Ele chegava morto em casa. Eu tento seguir esse exemplo de dar tudo dentro de campo porque o futebol, na verdade, é a minha vida. Eu vivo para isso", confessou a jovem revelação do Famalicão, que não se consegue comparar com o seu ídolo: "Tenho muito para percorrer para chegar ao nível do meu pai".

Habituado a ver o pai a jogar no Estádio do Dragão, Gustavo Assunção vai agora regressar, mas desta vez para jogar pelo adversário. Uma emoção difícil de esconder.

"Vai ser diferente para mim. Lembro-me de quando era pequeno ver o meu pai no Dragão. Vi-o ser campeão lá. Tenho muitas boas recordações. Mas agora vai ser o meu pai que vai estar a ver e eu a jogar", referiu o jogador, que vai reencontrar um velho amigo de Paulo Assunção e que em criança também viu jogar no Dragão: Pepe.

Apesar de toda a emoção que envolve este jogo, Gustavo encara-o da mesma forma que todos os outros e o pensamento de vitória está sempre presente.

"O FC Porto, juntamente com o Sporting e Benfica, são os ‘top' da Liga. Vai ser um jogo importante para nós, toda a gente vai estar motivada e vamos querer mostrar o trabalho que temos feito na época inteira. E vamos lá para ganhar o jogo", confessou.

Sobre esse gosto de vencer, Gustavo Assunção, que um dia sonha chegar à seleção portuguesa (o jogador tem dupla nacionalidade), não podia ser mais direto.

"O meu objetivo é ganhar todos os jogos. Sou muito competitivo e não gosto de perder. Tenho um irmão de cinco anos e costumamos jogar FIFA [videojogo] e nunca o deixo ganhar, por exemplo. Eu não gosto de perder em nada, quero ganhar tudo", afirmou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.