"Ninguém pode pôr em causa a justiça deste título. Só um clube como o FC Porto é que conseguia, depois da situação em que estava no final da primeira volta, com sete pontos de atraso. Alguns fizeram-nos o funeral, e só este treinador, estes adeptos e estes jogadores é que conseguiam virar uma desvantagem de sete pontos. Foi uma prova do que é o FC Porto", declarou o dirigente, ao Porto Canal.

Mesmo depois de muitos terem visto "uma maneira de pregar os pregos no caixão" dos ‘dragões', que hoje venceram o Sporting por 2-0 no Dragão para garantirem o 29.º título, o clube "mostrou que não se deixa vencer seja por quem for".

Pinto da Costa elogiou o treinador Sérgio Conceição, que "todos" gabam "em termos técnicos, táticos e da forma de trabalho", mas sobretudo pelo "espírito indomável".

"É como um dragão, que assumiu a defesa das cores e da bandeira do FC Porto. Só com esse espírito era possível dar a volta como demos", destacou.

O dirigente, que este ano foi reeleito para novo mandato à frente dos destinos dos portistas, elogiou ainda o papel dos adeptos, nomeadamente "o acompanhamento dos Super Dragões desde o hotel", pelo "estímulo e incentivo fantástico".

Pinto da Costa ironizou ainda contra a proibição de público nos estádios, dizendo que vai convidar o comediante Bruno Nogueira "ou uma tourada" para um espetáculo à margem do jogo com o Moreirense, convidando "o Governo e o presidente da República".

O FC Porto assegurou na quarta-feira a conquista do seu 29.º título de campeão português de futebol, ao vencer o Sporting por 2-0, no Estádio do Dragão, no Porto.

Danilo Pereira, aos 64 minutos, e o maliano Marega, aos 90+1, selaram o triunfo do ‘onze' de Sérgio Conceição, que, com duas rondas por disputar, passou a somar 79 pontos, contra 71 do Benfica, segundo classificado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.