Este ano, a noite de São João não teve festa nas ruas da Invicta, mas a goleada do FC Porto sobre o Boavista (4-0), que permitiu aos 'dragões' isolarem-se novamente na liderança da I Liga, beneficiando da derrota do Benfica com o Santa Clara, pode ter sido fulcral para a celebração de uma outra festa no futuro: a do título de campeão nacional.

Depois de uma primeira parte mais cinzenta, a equipa de Sérgio Conceição conseguiu encontrar linhas para 'furar' a 'muralha' axadrezada, partindo assim para um triunfo que acabou por ser tranquilo. Marega voltou aos golos (foram dois para o maliano, que não faturava desde fevereiro), Alex Telles e Sérgio Oliveira marcaram de grande penalidade. E a vantagem sobre o Benfica é agora de três pontos, quando ficam a faltar seis jornadas para o final da I Liga.

Com Marega e Soares na frente de ataque, o FC Porto assumiu, desde o início, o controlo da partida instalando-se no meio-campo adversário, que por sua vez jogava mais na expectativa de um erro dos 'azuis e brancos'. Aos 14 minutos, Pepe cabeceou ligeiramente ao lado da baliza de Helton Leite, na resposta a um livre lateral de Sérgio Oliveira. Aos 16' foi a vez de Marega obrigar o guardião dos axadrezados a uma defesa apertada, depois de uma boa jogada de Tomás Esteves pela direita.

O Boavista apresentava-se com um bloco baixo na sua retaguarda, o que dificultava a entrada dos portistas na área. A resposta dos homens de Daniel Ramos chegou já depois dos 30 minutos, com Yusupha atrapalhar-se na cara de Marchesín, permitindo a dobra a Mbemba, e depois obrigando o guardião portista a uma defesa apertada.

O FC Porto continuava sem encontrar soluções no último terço, exceção feita a Corona que aos 41' descobriu espaço pela direita e atirou cruzado com a bola a rasar o poste. Já em cima do intervalo, Marega cruzou tenso para Soares, que falhou o desvio na pequena área, mantendo-se o nulo ao intervalo.

Ao intervalo, Sérgio Conceição sentiu a necessidade de mexer na sua equipa, e por isso lançou Manafá e Uribe para os lugares de Tomás Esteves e Luis Díaz, numa aposta que se revelou decisiva, pois os dois estiveram na génese da jogada que, aos 53 minutos, permitiu a Marega inaugurar o marcador. O avançado maliano não marcava desde fevereiro, na receção ao Leverkusen, para a Liga Europa (há 6 jogos).

Desbloqueado o nulo, os 'dragões' reforçaram a confiança e não precisaram de muito tempo para dilatar a vantagem, com Marega a ser travado por Dulanto na área e Alex Telles a converter o penálti. O central peruano voltaria a comprometer a equipa, desta vez cortando com a mão um cruzamento de Marega, na área, em nova falta para grande penalidade, convertida no 3-0 por Sérgio Oliveira.

Sérgio Conceição aproveitou a vantagem confortável para mexer novamente na equipa - entraram Fábio Silva, Danilo Pereira e Fábio Vieira, com este último a isolar Marega (84') para o segundo 'bis' da temporada, com direito a fogo de artifício junto ao estádio. Voltaremos a ter festa no Dragão?

O momento

Marega faz o 1-0: O FC Porto demonstrava sérias dificuldades em encontrar soluções no último terço, mas na segunda parte tudo mudou, com a equipa a entrar mais perigosa e a conseguir criar mais desequilíbrios na defesa boavisteira, fruto também das mudanças ao intervalo. O golo de Marega, aos 53 minutos, teve o condão de acalmar a equipa e reforçar a sua confiança para o que ainda aí vinha. E os 'azuis e brancos' acabaram por vencer tranquilamente.

A figura

Marega: Dois golos e dois penáltis ganhos pelo maliano, que regressou à titularidade depois de ter ficado no banco na Vila das Aves.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.