O avançado ganês Kelvin Boateng mostrou-se hoje “entusiasmado” por ter sido o 42.º futebolista utilizado pelo Desportivo das Aves na I Liga, numa estreia manchada pela confirmação da descida do lanterna-vermelha à II Liga.

“O resultado não foi o que queríamos, mas senti-me bem integrado na equipa e deu para absorver a energia do grupo. Tive a oportunidade de dar alguns toques na bola, o que é bom para o primeiro jogo. Estava à espera deste momento há muito tempo e senti-me muito bem”, assumiu o dianteiro, numa conversa promovida pelos nortenhos.

Kelvin Boateng, de 20 anos, viu recompensados os 12 golos apontados em 32 jogos na Liga Revelação, cancelada em 08 de abril, devido à pandemia de covid-19, com a entrada nos últimos seis minutos da derrota caseira frente ao Moreirense (1-0), da 29.ª jornada, que ditou o 10.º encontro seguido sem vencer por parte dos avenses.

“Sinto que o trabalho que desenvolvi na Liga Revelação foi muito importante nesse sentido. Se não tivesse sido capaz de marcar golos ou de mostrar que sei jogar, não me teriam dado esta oportunidade. Isso deu confiança ao treinador para me escolher para a equipa principal. Agora quero jogar mais vezes e marcar o primeiro golo”, apontou.

O avançado ganês evoluiu pelos juniores do Desportivo das Aves na última temporada e ampliou a aposta na juventude promovida pelo treinador Nuno Manta Santos, que já tinha recorrido aos guarda-redes Fábio Szymonek e Raphael Aflalo e aos defesas Ricardo Mangas, Bruno Morais e Cláudio Tavares, todos provenientes dos sub-23.

Do patamar que consagrou o emblema do concelho de Santo Tirso em 2018/19, com as conquistas da primeira edição da Liga e da Taça Revelação, também saíram os médios Zidane Banjaqui, Reko Silva e Mohamed Touré e os avançados Bruno Lourenço, José Varela e Pedro Soares, numa aposta crescente desde a retoma do campeonato.

O Desportivo das Aves tem atravessado uma série de contrariedades desportivas, diretivas e financeiras desde agosto e consumou na segunda-feira a despromoção ao escalão secundário, numa altura em que soma apenas 14 pontos em 29 jornadas, 15 abaixo da zona de salvação, e jogará os cinco encontros finais para cumprir calendário.

A SAD liderada pelo chinês Wei Zhao foi absolvida na terça-feira da acusação de incumprimento salarial com jogadores e treinadores entre dezembro e março, mas aguarda pela resolução de outro processo idêntico, assente na ausência de documentos que comprovassem a regularização dos vencimentos de março e abril.

O assunto foi remetido da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) para o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) em 09 de junho, podendo custar aos avenses uma penalização de dois a cinco pontos na classificação.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.