A Confederação de Treinadores mostrou-se hoje desagrada com a ausência de decisões para o regresso do desporto, depois do interregno motivado pela pandemia de COVID-19, e manifestou “dificuldade em aceitar” a falta de respostas.

Através de um comunicado assinado pelo presidente, Pedro Sequeira, o organismo pede decisões para o imediato e lamenta que no desporto “quase nada” seja “decidido”.

“A Confederação de Treinadores percebe e compreende que a tutela e o Governo nunca tenham vivido uma situação destas (nós também não), mas começamos a ter dificuldades em aceitar em ter acesso a decisões e medidas em outras áreas da sociedade tão importantes como o Desporto e para o desporto quase nada é decidido”, pode ler-se.

A entidade fala na “necessidade de planear e preparar o regresso, com maior ou menor dificuldade”, reconhecendo que será um processo “gradual e com constrangimentos”.

Na mesma nota, é referido que foi “recolhida toda a informação possível junto dos treinadores em dificuldades”, por não poderem exercer a atividade, e que foi apresentada uma proposta para a resolução da situação, assim como para “a reabertura dos espaços desportivos com sugestões de medidas de segurança, a serem validadas pela Direção-Geral da Saúde”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou mais de 350 mil mortos e infetou mais de 5,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Cerca de 2,2 milhões de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.356 pessoas das 31.292 confirmadas como infetadas, e há 18.349 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.