O FC Porto reforçou hoje a liderança da I Liga portuguesa de futebol, ao receber e bater o Portimonense por 4-1, depois de estar a perder, no encontro de abertura da 12.ª jornada.

O maliano Marega, aos 23 e 64 minutos, o brasileiro Soares, aos 57, e o argelino Brahimi, aos 59, apontaram os tentos dos ‘azuis e brancos’, depois de o também brasileiro Vítor Tormena colocar os algarvios na frente, aos nove.

No final da partida, o treinador do FC Porto Sérgio Conceição esteve na 'flash-interview' da SportTV para falar sobre o resultado.

"Nós sabíamos que iria ser um jogo difícil contra uma equipa que, percebendo que joga com um adversário mais forte, torna-se mais perigosa. Baixou um bocado as linhas e explorando as transições e os ataques rápidos. Conhecendo um bocadinho quem estava do outro lado, tinha quase a certeza que iria ser assim. Sabia que seria difícil e que há bastante qualidade individual no Portimonense. Bem organizada. Tivemos dificuldades por mérito do Portimonense, mas também por algum demérito nosso. Na segunda parte, mudámos aquilo que tínhamos de mudar. Pedi mudança de atitude e foi isso que aconteceu. Fizemos uma segunda parte perto daquilo que somos", começou por dizer o técnico portuense.

"Vocês sabem que há uma grande variedade de movimentos na linha de ataque. Senti que precisámos de controlar mais o corredor central e foi por isso que fiz a alteração", explicou sobre a entrada de Herrera ainda antes do intervalo.

Sérgio Conceição abordou ainda as 11 vitórias consecutivas do FC Porto: "Nós somos um grupo de grandes profissionais e grandes jogadores. E somos um grupo com uma qualidade humana acima da média. Nós sentimos e eles sentiram que nós não entrámos bem no jogo. Eles sentem também o que é representar o FC Porto. Esta 11.ª vitória representa pouco. Nós olhamos jogo a jogo. É importante e foram mais três pontos. Agora vamos olhar para o jogo de terça-feira para a Liga dos Campeões. Queremos deixar uma boa imagem, independentemente de o primeiro lugar já estar assegurado."

Sobre a ovação a Jackson Martínez aquando a substituição do colombiano, o técnico disse que a homenagem foi "merecida".

"Foi uma homenagem e uma ovação merecida. É um grande profissional e uma grande pessoa. É merecido. Tem passado por momentos difíceis. É um grande jogador. Tive oportunidade de o aplaudir muitas vezes pelo grande jogador que é e pelo grande homem que é. Toda a gente sabe isso", terminou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.