O treinador Carlos Carvalhal disse hoje querer que o Rio Ave "tenha mais eficácia", esperando mostrá-la na partida de segunda-feira, frente ao Gil Vicente, de encerramento da 13.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol.

O treinador dos vila-condenses lembrou as estatísticas do campeonato, que dão o seu conjunto como aquele que mais oportunidades flagrantes de golo cria, considerando que isso prova que existe "uma margem de progressão".

"Pelas oportunidades que conseguimos criar, precisamos de ter mais eficácia. Somos a equipa que mais desperdiça, mas temos grande margem de progressão. Tendo 50% de eficácia nas oportunidades, talvez o Rio Ave tivesse mais seis ou sete pontos nesta altura", vincou Carlos Carvalhal.

O treinador quer melhorar esses indicieis de concretização frente ao Gil Vicente, mas reconheceu que "não é fácil criar oportunidades" frente ao conjunto minhoto, apelando a "um grande foco da equipa".

"Temos consciência de que vamos defrontar um adversário moralizado com as três vitórias consecutivas e muito bem orientado, num trabalho fantástico do Vítor Oliveira e do Dito na construção de um plantel novo", analisou o técnico da formação da foz do Ave.

Apesar de o Rio Ave vir de uma derrota na jornada anterior, frente ao Sporting de Braga, Carlos Carvalhal prometeu uma equipa "também moralizada pelo comportamento coletivo que tem mostrado", e empenhada em "coroar com uma vitória o jogo 300 de [capitão] Tarantini na I Liga".

O treinador dos vila-condenses, que não divulgou a lista de convocados, ainda não sabe se pode contar Diego Lopes, Nuno Santos e Lucas Piazón, que recuperaram de lesões, sendo as únicas baixas confirmadas, também por problemas físicos, as de Jambor e Nadjack.

O Rio Ave, 11.º classificado, com 15 pontos, recebe segunda-feira o Gil Vicente, nono, com 16, em partida com início agendado para as 20:15, no estádio dos Arcos, em Vila do Conde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.