A candidatura de Bruno Costa Carvalho à presidência do Benfica, anunciada terça-feira pelo próprio nas suas redes sociais, poderá estar em risco. É que, apesar de o empresário ter já sido candidato em 2009, houve entretanto uma alteração nos estatutos do clube 'encarnado', realizada um ano depois, em 2010, que obriga a que os candidatos à presidência das 'águias' tenham um mínimo de 25 anos ininterruptos como sócio efetivo do clube à data da eleição. Bruno Costa Carvalho tem apenas 18.

Citado pelo jornal 'O Jogo', o presidente da Mesa da Assembleia Geral do Benfica, Luís Nazaré, sublinhou que "há condições para uma apresentação às eleições e são os estatutos que definem essas condições".

Luís Nazaré explicou, porém, que as eventuais candidaturas só serão analisadas quando abrir a janela para que as mesmas sejam entregues. "Quando for a janela própria para a apresentação de candidaturas, a Mesa da Assembleia Geral dirá quais as candidaturas que estão à luz dos estatutos e quais não os observam", lembrou, em declarações ao mesmo jornal.

Bruno Costa Carvalho, porém, defende que, por ter sido candidato em 2009, altura em que o número de anos de sócio exigido era apresentar uma candidatura era de apenas cinco, tem direito a ser candidato.

"Consultei os meus advogados antes de avançar com o processo. Parece-me impensável não ser candidato agora. Não vejo que não seja possível não me candidatar". O empresário lembra que o atual presidente, Luís Filipe Vieira, se apresentou a um novo mandato em idênticas circunstâncias e apelidou de ridícula a situação. "Nas eleições seguintes à alteração de estatutos, ele também não cumpria e foi candidato porque era presidente. Fui candidato em 2009, mal era que não pudesse ser candidato 11 anos depois. Era ridículo. Ainda não estamos na Venezuela", apontou o empresário.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.