Depois do empate com o Tondela (0-0), o Benfica desloca-se esta quarta-feira (19h15) ao reduto do Portimonense, em duelo relativo à 26.ª jornada da I Liga.

Na antevisão da partida, Bruno Lage falou sobre a semana atribulada que o clube viveu, com o ataque ao autocarro e as casas do treinador 'encarnado' e de alguns jogadores vandalizadas.

"É preciso separar os dois assuntos e falar daquilo que é o futebol. Medo não há. É claro que foi uma situação que aconteceu, que tivemos de viver, mas que sinto que está completamente ultrapassada. Não temos medo nenhum, temos é vontade de que o jogo chegue para marcarmos golos que não marcámos no último jogo. Sinto a equipa confiante, unida, a trabalhar de forma fantástica para dar alegrias aos adeptos", afirmou Bruno Lage em conferência de imprensa.

"Foi tudo tão rápido [n.d.r. o apedrejamento do autocarro]. Não sei o que dizer. Não confundo os adeptos que fizeram o corredor em Vila do Conde, que nos apoiam nos bons e maus momentos... não interessa a forma como vivi, interessa saber que todos os jogadores, especialmente o Zivkovic e o Weigl, estão bem e a treinar bem, sem qualquer problema", garantiu o técnico.

Depois do empate frente ao Tondela e já depois do ataque ao autocarro, Luís Filipe Vieira reuniu com os jogadores no Seixal onde terá deixado palavras de exigências a todo o plantel, algo que não incomodou Bruno Lage: "O presidente vai ao balneário quando entender e foi uma conversa de pai para filhos."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.