O médio argentino do Sporting estreou-se pela Seleção da Argentina frente à Colômbia e deixou bons indicadores para no futuro voltar a ser convocado por Lionel Scaloni. O selecionador argentino gostou do que viu e no final do jogo com a Colômbia que terminou empatado a 0-0 elogiou os jogadores que se estrearam pela Argentina, nomeadamente Battaglia.

"Este é o momento para fazermos a renovação [da seleção]. Não somos os melhores do mundo, mas temos uma cultura desportiva que nos fará voltar [ao topo]. E não falta muito. Este foi um teste incrível para os que não vestiram muitas vezes esta camisola. Ganhar não era importante. A intenção era que os rapazes sentissem o peso da camisola, não pesa o mesmo que as outras. Daqui a cinco, sete ou dez jogos, vão dar que falar", afirmou o selecionador nacional da Argentina após o jogo com a Colômbia.

Já em declarações ao jornal O JOGO, Walter Perazzo, treinador argentino que lançou Battaglia nos sub-20 da Argentina em 2011, não poupou elogios ao médio leonino.

"Battaglia foi o mais destacado da seleção [da Argentina]. Num contexto de um jogo muito disputado a meio-campo e com poucas situações de golo, cumpriu o seu papel na marcação e ainda serviu os extremos com bons passes em profundidade", afirmou Perazzo, antigo selecionador argentino dos Sub-20 que convocou Battaglia em 2011.

"Esteve atento e sem nervosismo. Teve de lidar com Willmar Barrios, que é na atualidade o melhor trinco do campeonato argentino e tem um futuro enorme, e conseguiu impor o seu estilo, que tem grande equilíbrio entre as ações ofensivas e defensivas. O jogo não permitiu que se soltasse demasiado por causa da abordagem tática da Colômbia, que recuperava posição com duas linhas de quatro. Assim, deu a volta com passes em profundidade e com roubos seguidos de devolução a colegas, algo que parece simples mas que poucos fazem adequadamente", acrescentou.

"Cresceu imeso com a regularidade em Portugal, é muito bom no posicionamento, Às vezes, quem joga na posição dele movimenta-se mal, chega tarde ou liberta-se para atacar em momentos pouco propícios, deixando a defesa desprotegida. Por isso creio que ele conseguiu dar um salto na carreira e agora luta por ser titular pela Argentina", sentenciou Perazzo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.