A um mês do dia das eleições para a presidência do Sporting, quatro dos candidatos foram à CMTV para o primeiro debate. José Maria Ricciardi, Dias Ferreira, Pedro Madeira Rodrigues e Rui Jorge Rego falaram de futebol e de finanças, e ainda entraram numa 'guerra geracional'.

Entre ataques e acusações, confira as principais notas do debate:

Problemas financeiros

José Maria Ricciardi: "Sem dinheiro, não há futebol. Mesmo que perca votos, tenho a obrigação de dizer aos sócios a situação, o tal poço de petróleo que se diz que o clube herdou. O grupo Sporting tem uma situação líquida negativa de 138 milhões de euros e o passivo financeiro é superior a 200 milhões. Temos um défice de tesouraria para este ano de 60 milhões. De 68 milhões televisivos do contrato com a NOS, o Sporting tem a receber 8, porque a anterior direção antecipou essas receitas".

Rui Jorge Rego: "Discutimos muito o passado mas não o futuro, nem modalidades, a marca, modelos de negócio. É obrigatório aumentar as receitas. Para a questão financeira tenho dois investidores que darão a cara durante a campanha. Não tenho grandes preocupações nesse ponto neste momento. Temos VMOC que valem 120 milhões de euros e podem ser compradas por 39 milhões".

Pedro Madeira Rodrigues: "Quem for presidente tem de ter 120 milhões de euros. Quem aparecer sem solução, é um disparate. Temos Kuwait, Emirados, possibilidade de Arábia e Oman. Estamos a negociar a melhor taxa. Investimento que irá resolver o problema das VMCO. Há um negócio preparado por 40,5 milhões. O Sporting é uma marca valiosíssima. Essa conversa do coitadinho... Não. Não vamos deixar que mandem no Sporting".

Jorge Jesus e José Peseiro

José Maria Ricciardi: "Jorge Jesus é um valorizador de jogadores extraordinário, mas é um erro desvalorizar-se Peseiro. Sou amigo pessoal de Jesus. Tenho grande consideração por ele, fez um trabalho notável no Sporting. Ele valoriza os jogadores mas neste momento ele está com outro contrato".

Rui Jorge Rego: "O que me move é o projeto que vamos montar. José Peseiro é o meu treinador e vai cumprir o contrato. Com o Sporting num momento difícil íamos pagar uma indemnização a um treinador? E já agora, dizer que um balneário não fica afetado com uma alteração de um treinador é não conhecer um balneário. Eu acredito que José Peseiro vai ser campeão, por isso creio que não faz qualquer sentido o regresso de Jorge Jesus ao Sporting".

Pedro Madeira Rodrigues: "Jorge Jesus aguentou a equipa no final da época. Mas era a altura de sair, é página virada. Encontrei a solução Ranieri, um treinador ao estilo Bobby Robson. Não trata os jogadores como flores de estufa, mas sim como homens de barba rija. Tive uma conversa com Peseiro e ele pôs-me completamente à vontade. Não se vai sentir destabilizado. O que destabiliza é haver alterações de estatutos a meio da época".

Dias Ferreira: "Jorge Jesus é o treinador do Al-Hilal e eu estou aqui. Quero o mínimo de estabilidade para o futebol. Isso é estar a 'Ranieri' connosco. Pedro Madeira Rodrigues fala de Ranieri como se ele fosse a última coca-cola do deserto! Mariano Barreto já passou pelo Sporting e também não descobriu a última coca-cola do deserto".

Futebol

José Maria Ricciardi: "Nos últimos 5 anos da anterior direção tivemos um tetra do Benfica e um título do FC Porto. Em 2002, na última vez em que fomos campeões, fui o único que estava no autocarro com a equipa e vi a felicidade das pessoas. Quero devolver essa alegria. Eu vim para ganhar, para que o Sporting seja campeão recorrente".

Rui Jorge Rego: "Acho que, acima de tudo, está na altura de trazer um novo projeto para o clube. Quando fiz a minha lista procurei a experiência em várias áreas. Tenho ideias diferentes para o futebol, na constituição da SAD com a entrada de um CEO. Essa pessoa tem de ser um expert no futebol que não seria o presidente do Sporting. Tenho o perfil pensado e várias pessoas que podem entrar no plano, e posso dizer que não é Bruno de Carvalho. Não serei testa de ferro de Bruno de Carvalho".

Pedro Madeira Rodrigues: "Futebol é o que nos move. Não aparecia sem uma equipa em que eu não acreditasse que fosse vencedora".

Dias Ferreira: "Conheço o futebol de alto a baixo! Conheço o futebol nos seus bastidores, nos seus exteriores, a mim não me enganam. Na minha lista, há rigor, competência e grande paixão. Não caí de paraquedas. Tenho um currículo atrás de mim. Futebol e vitórias atraem dinheiro. É preciso pessoas competentes. É possível poupar e ter dinheiro para aplicar no devido lugar. Liderei o futebol quando já havia departamento profissional".

Gerações e ataques

José Maria Ricciardi: "Acho lamentável que outros candidatos, como Varandas, Benedito e Tavares Pereira, não tenham vindo debater as suas ideiais. Estão a furtar-se ao debate, a fugir com o rabo à seringa. Com a sua fuga, Varandas mostra as suas fragilizadas, parece que não quer enfrentar opiniões diferentes. É uma maratona, não uma prova de 100 metros. Oxalá não chegue esvaziado ao fim".

"Não aceito pretensiosismos geracionais e também não aceito o critério - ridículo - de que o passado é passado e que deve vir gente nova. Isto não está para estagiários. Aliás, se bem me lembro, [Madeira Rodrigues] foi o único que se opôs a Bruno de Carvalho e levou uma sova".

Rui Jorge Rego: "Andei à procura de gente pela experiência, não pela idade. Isto tem a ver com 3 campeonatos em 40 anos".

Pedro Madeira Rodrigues: "Aqueles aqui presentes têm áreas de competência, Ricciardi no sector financeiro, Dias Ferreira na área dos estatutos. Acredito que estou em melhores condições para dar uma união. Convosco fomos campeões duas vezes em 30 anos. São pessoas válidas, mas deixem os outros entrar. Eu não tenho experiência, mas deem-se uma oportunidade. Já tiveram essa experiência e correu mal. Isto não é conversa, é o passado que os senhores representam".

Dias Ferreira: "Mas eu tenho de pedir desculpa por ter um currículo de mais de 30 anos no futebol? Eu quando formei a minha equipa, não me preocupei com idades, mas sim em ser o mais velho, experiente. Isto não é para paraquedistas! Quem são esses paraquedistas? Pelos vistos eu sou velho mas nunca me servi do Sporting, servi sim o Sporting. Fui buscar várias gerações [para a lista]. Porque é que Pinto da Costa tem sido o presidente do FC Porto? Porque começou por baixo!".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.