Análise/Marítimo 2-0 Benfica: Há mar e mar, há ir e não voltar

Encarnados perderam no Funchal e viram Bruno Lage dizer 'adeus'.
Análise/Marítimo 2-0 Benfica: Há mar e mar, há ir e não voltar
Jardel desanimado depois do apito final. EPA/GREGORIO CUNHA / POOL

O Benfica foi na noite desta segunda-feira um derrotado na deslocação ao Marítimo, por 2-0, e viu o FC Porto aumentar a vantagem na liderança da I Liga portuguesa de futebol, num resultado que confirmou ainda a descida do Desportivo das Aves.

Em jogo da 29.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, o Marítimo adiantou-se no marcador aos 74 minutos, com um golo de Correa, com o avançado Rodrigo Pinho, aos 78, a aumentar a vantagem da equipa insular.

Com esta derrota, a segunda consecutiva, os ‘encarnados’ somam 64 pontos, a três do líder FC Porto, que pode aumentar a vantagem no jogo de hoje em Paços de Ferreira, enquanto o Marítimo sobe ao 12.º lugar, com 31 pontos, confirmando a descida do Desportivo das Aves à II Liga.

As equipas

Em relação ao último encontro, no qual o Benfica perdeu com o Santa Clara, Bruno Lage fez cinco alterações. Saíram Rúben Dias, Gabriel, Taarabt, Seferovic e Rafa. Entraram Jardel, Samaris, Chiquinho, Cervi e Vinícius.

Onze do Marítimo: Amir; Nanu, Zainadine, Kerkez e Fábio China; René Santos; Edgar Costa, Pelágio, Vukovic e Correa; Rodrigo Pinho.

Onze do Benfica: Vlachodimos; André Almeida, Ferro, Jardel e Nuno Tavares; Chiquinho, Samaris, Weigl e Cervi; Pizzi e Carlos Vinícius.

O jogo

O Benfica entrou forte desde o apito inicial e, logo nos primeiros minutos de jogo, obrigou o guarda-redes do Marítimo a duas defesas apertadas. Os encarnados chegavam com muita facilidade ao último terço do campo adversário, com muita posse de bola, apesar de José Gomes ter entrado com uma defesa a cinco com três centrais para tentar 'segurar' as investidas dos homens de Bruno Lage. Ao dez minutos de jogo, o Benfica levava já quatro remates, três deles à baliza.

A partir dos 15 minutos de jogo, o Marítimo foi ganhando força no jogo. Mesmo sem bola, os homens do emblema madeirense iam encaixando entre si e tentavam forçar espaços entre os homens da equipa comandada Lage. Além disso, o Marítimo tinha ainda na baliza uma autêntica fortaleza chamada Amir Abedzadeh. Aos 20 minutos de jogo, o guarda-redes da equipa da casa contava já com cinco grandes defesas.

Aos 25 minutos de jogo, os homens de José Gomes 'gelaram' o Benfica ao inaugurar o marcador. Rodrigo Pinho atirou para o fundo das redes de Odysseas Vlachodimos, mas o lance acabaria por ser anulado por fora-de-jogo. Hélder Malheiro ouviu a confirmação do VAR e mandou seguir.

Dez minutos depois, a desinspiração tinha chegado em força ao Estádio dos Barreiros. O Benfica tinha menos bola na zona central, enquanto o Marítimo ia conseguindo aproveitar o cansaço de jogadores como André Almeida e Pizzi, que a esta altura, e depois de uma entrada a todo o gás, começavam a mostrar algum desgaste. A partir desta altura, a intensidade do encontro baixou 'em queda livre' e as equipas acabariam por recolher aos balneários com um nulo no marcador.

A segunda arrancou da mesma forma que a primeira, com um claro domínio do Benfica. No entanto, foi sol de pouca dura e, ao longo do tempo, o processo ofensivo dos encarnados foi ficando cada vez mais lento. A isso juntou-se ainda uma flagrante dificuldade a nível tático. Ao minuto 58, Bruno Lage tirou um cansado Samaris para dar lugar a Rafa e ainda Carlos Vinícius para a entrada de Haris Seferovic. O suíço teve uma grande oportunidade poucos minutos depois de entrar, mas o golo parecia não querer chegar.

Aos 73 minutos, os encarnados voltaram a sofrer alterações. Desta vez, Lage tirou Pizzi e Cervi para as entradas de Zivkovic e Dyego Sousa. Um minuto depois, o Marítimo marcou por Correa. Depois de uma grande jogada de Nanu, que passou por Ferro e Zivkovic, este meteu rasteiro para o segundo poste onde apareceu Correa a finalizar. Já quase sem ângulo, o argentino colocou a bola entre o poste e Odysseas e marcou mesmo.

Mas, a má sorte do Benfica não ficaria por aqui. Nanu voltou a fazer das suas com um golo muito similar ao anterior. Depois de uma correria de Nanu, este voltou a meter rasteiro para o segundo poste onde desta vez foi Rodrigo Pinho quem apareceu a marcar.

O passar do tempo ia mostrando um Benfica cada vez mais fraturado e foi assim que Tagueu chegou ao terceiro dos insulares. Um passe longo lançou Tagueu, Odysseas saiu da área mas falhou a intercepção e o avançado dos insulares seguiu e atirou para o fundo da baliza vazia. Hélder Malheiro ouviu o VAR e o lance acabou por ser invalidado por fora-de-jogo.

Embora a derrota não tenha sido justa, tendo em conta o elevado número de remates e oportunidades que os encarnados acumularam no total do encontro, a verdade é que o Benfica teve momentos de grande desinspiração e que podem ter custado a revalidação do título de campeão nacional.

Com esta derrota, a segunda consecutiva, os ‘encarnados’ somam 64 pontos, a seis do líder FC Porto, que aumentou a vantagem ao vencer por 1-0 em Paços de Ferreira, enquanto o Marítimo sobe ao 12.º lugar, com 31 pontos, confirmando a descida do Desportivo das Aves à II Liga.

O resumo

Os melhores

O destaque do encontro vai para o guarda-redes do Marítimo, Amir Abedzadeh. O guardião iraniano negou por (muitas!) vezes o golo ao Benfica e conseguiu evitar que os encarnados deixassem os Barreiros com os três pontos. O guarda-redes contou ainda com a ajuda do companheiro de equipa Nanu. O lateral guineense esteve diretamente ligado aos dois golos dos insulares e leva 'culpas' no cartório pela derrota dos benfiquistas.

Os piores

Do outro, e embora não se possa apontar o dedo diretamente a um jogador, a verdade é que a defesa do Benfica mostrou-se, mais uma vez, muito fragilizada. A esta 'lacuna' juntaram-se ainda um André Almeida e um Pizzi em baixo de forma, comparando com aquilo que costumam mostrar. Carlos Vinícius foi outro dos encarnados que se mostrou muito desinspirado na noite desta segunda-feira.

As reações

Bruno Lage: "Os jogadores estão comigo e estamos todos no mesmo barco"

José Gomes: "O Benfica teve o controlo do jogo mas as oportunidades foram nossas"

Nanu: "Vamos felizes para casa"

Vieira diz que é o "único culpado" pelo mau momento: "Vou falar com a minha família"

Pizzi: "Não é por estes resultados que Bruno Lage passa a ser o pior do mundo"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Veja também

 
 

Comentários

Reparámos que tem um Ad Blocker ativo.

A informação tem valor. Considere apoiar este projeto desligando o seu Ad Blocker.

Pode também apoiar-nos seguindo-nos nas redes sociais Facebook, Instagram e Twitter.